No que crêem os Santos dos Últimos Dias

Extraído de A Liahona, março de 2008, pg. 54

Encontram-se a seguir respostas curtas a algumas perguntas que normalmente são feitas aos membros de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.

Em que os santos dos últimos dias realmente acreditam a respeito de Jesus Cristo? Ele literalmente ressuscitou dos mortos? Ele voltará à Terra em glória? A Sua graça é necessária para que uma pessoa seja salva?

Essas são algumas das perguntas que as pessoas em geral fazem quando encontram a Igreja ou seus membros pela primeira vez. Ao responder a essas perguntas, os membros devem estar preparados para — em primeiro lugar e principalmente — seguir a orientação do Espírito Santo. As respostas curtas a seguir devem fornecer material a ser considerado enquanto tentarmos formular essas respostas.

Vocês acreditam no Jesus Cristo histórico que viveu e pregou na Terra Santa, como registrado na Bíblia?

Sim. Cremos que Jesus nasceu de Maria, pregou na Terra Santa durante um ministério de quase três anos, morreu na cruz e ressuscitou dos mortos, exatamente como os profetas predisseram por séculos, antes de Sua vinda (ver, por exemplo, Gênesis 49:10; Salmos 2:6–7; 22:16–18; 118:22; Isaías 7:14; Miquéias 5:2). Acreditamos que Ele sofreu pelos pecados de toda a humanidade e os expiou, tornando possíveis o arrependimento e o perdão (ver Isaías 53:4–6). Cremos que Ele sobrepujou a morte e que, por meio do Seu poder, todo homem e mulher pode ressuscitar com um corpo físico (ver Romanos 6:5; 8:11). Cremos que, pela obediência aos princípios do Seu evangelho, todo filho e filha de Deus que vem à Terra pode alcançar salvação e voltar a viver com nosso Pai e Seu Filho no reino Deles nos céus (ver I Pedro 3:18; Regras de Fé 1:3).

Vocês acreditam que o Senhor literalmente ressuscitou dos mortos?

Sim. Como Seus Apóstolos testificaram na Bíblia, Jesus Cristo foi visto em Seu corpo ressuscitado por centenas de testemunhas (ver Lucas 24:39; João 20:20; I Coríntios 15:3–8). Como ser ressuscitado, Ele ministrou entre milhares de Suas “outras ovelhas” (João 10:16) nas Américas, mostrando a elas as feridas nas mãos, nos pés e no lado, e ensinando entre eles por muitos dias (ver 3 Néfi 11–28).

Ao lado do Seu Pai, Ele apareceu em 1820, a Joseph Smith Jr. O Senhor ordenou que esse jovem Profeta restaurasse a Sua Igreja e o Seu evangelho que, após a morte dos antigos Apóstolos, haviam sido modificados para conter as filosofias dos homens. Joseph Smith e um dos seus amigos prestaram este testemunho de Jesus Cristo, em 1832: “Ele vive! Porque o vimos, sim, à direita de Deus; e ouvimos a voz testificando que ele é o Unigênito do Pai” (D&C 76:22–23).

Vocês acreditam que Ele voltará à Terra em glória?

Sim. As sagradas escrituras testificam: “Esse Jesus, que dentre vós foi recebido em cima no céu, há de vir assim como para o céu o vistes ir” (Atos 1:11). “Porque eu sei que o meu Redentor vive, e que por fim se levantará sobre a terra” (Jó 19:25). “[Ele virá] nas nuvens do céu para reinar na Terra sobre seu povo” (D&C 76:63). Além disso, cremos que, por causa da Ressurreição Dele, nós também receberemos nosso corpo físico novamente: “E depois de consumida a minha pele, contudo ainda em minha carne verei a Deus” (Jó 19:26). “Porque, assim como todos morrem em Adão, assim também todos serão vivificados em Cristo” (I Coríntios 15:22). “A morte de Cristo desatará as ligaduras dessa morte física, para que todos se levantem dessa morte física. O espírito e o corpo serão reunidos em sua perfeita forma” (Alma 11:42–43).

Vocês acreditam que a graça Dele é necessária para nossa salvação?

Com certeza. Sem a graça de Jesus Cristo, ninguém poderia ser salvo ou receber as bênçãos eternas (ver Romanos 3:23–24). Por meio da Sua graça, todos ressuscitarão e todos os que acreditarem Nele e O seguirem terão vida eterna (ver João 3:15). Além disso, por meio de Sua graça, o relacionamento sagrado que temos com nosso cônjuge e nossa família pode continuar pela eternidade (ver Mateus 16:19; I Coríntios 11:11; D&C 132:19). Essas bênçãos eternas são presentes Dele para nós; não há nada que possamos fazer por nós mesmos para merecê-las ou obtê-las.

Todavia, as escrituras tornam claro que recebemos todas as bênçãos de Sua graça por meio da fé e da obediência aos Seus ensinamentos. O Apóstolo Paulo ensinou que não podemos salvar a nós mesmos; precisamos da graça do Senhor: “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie; Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas” (Efésios 2:8–10).

Tiago explica: “Assim também a fé, se não tiver as obras, é morta em si mesma. (…) Vedes então que o homem é justificado pelas obras, e não somente pela fé” (Tiago 2:17, 24). Dessa maneira, o Salvador pôde dizer ao jovem rico — que tinha sido obediente e desejava a vida eterna — que havia ainda mais a ser feito (ver Mateus 19:16–22; Lucas 18:18–23). Os santos dos últimos dias acreditam que a graça de Cristo é concedida na plenitude àqueles que crêem em Cristo e praticam as obras que Ele ensinou. “Sabemos que é pela graça que somos salvos, depois de tudo o que pudermos fazer” (2 Néfi 25:23; grifo do autor).

Apesar de nossas boas obras não poderem nos limpar do pecado, elas demonstram a sinceridade de nossa fé em Jesus Cristo e nossa fidelidade ao caminho que Ele trilhou.

Vocês acreditam que Joseph Smith é de alguma forma tão importante quanto Jesus Cristo para a salvação das pessoas?

Não. Joseph Smith foi um profeta importante para a história da humanidade. A obra que ele realizou sob orientação divina trouxe à Terra as bênçãos e o conhecimento concedidos aos profetas de Deus e a Seus seguidores nos tempos do Velho e do Novo Testamentos, e que haviam sido perdidos. Joseph Smith foi, assim como os profetas antigos, um servo do Senhor Jesus Cristo que ensinou que a salvação e todas as bênçãos da eternidade poderiam vir somente por intermédio do nosso Salvador: “Os princípios fundamentais de nossa religião consistem no testemunho dos apóstolos e profetas de que Jesus Cristo morreu, foi sepultado, ressuscitou no terceiro dia e subiu aos céus; e todas as outras coisas que pertencem a nossa religião são meros complementos dessa verdade” (Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Joseph Smith [2007], p. 49). Em outra ocasião, o Profeta ensinou: “Quando refletimos na santidade e perfeição de nosso grande Mestre, que abriu o caminho pelo qual podemos achegar-nos a Ele, sim, sacrificando-Se a Si mesmo, nosso coração se comove profundamente com Sua condescendência” (Ensinamentos: Joseph Smith, pp. 54–55).

(Visited 51 times, 1 visits today)

Artigos relacionados:

Publicado em Outros assuntos com a(s) tag(s) , , , , , , , , , . Adicione o link permanente deste artigo a seus favoritos.

6 comentários em No que crêem os Santos dos Últimos Dias

  1. Pingback: Cremos - Coisas que os mórmons acreditam

  2. Digo nãããããããão! 😛

    Tá bom: no máximo pra mais uns três, fora você… Sérgio Carboni, Luiz Polito e… (Targino vale? 😉 )

    Há as irmãs maravilhosas também. Mas elas são de outra seleta lista. 😀

  3. Pingback: » Cremos Blog SUD

  4. Marcelo Todaro disse:

    Marilinha escreveu:

    É uma bênção tê-lo como irmão!

    Você diz isso a todos… 😀

  5. Oi de novo, Marcelão!

    Voltei porque percebi, tardiamente, que não fui nada clara no comentário anterior. 🙂

    Falei em “roubar” o post por ser beeeeem esclarecedor, direto e verdadeiro. Ótima escolha publicá-lo. Seu diário online já me ajudou muito e continua ajudando. Estou certa de que não fui a única que beneficiada por seu sacrifício e dedicação em manter um website tão agradável e claro.

    Mais uma vez: OBRIGADA VOCÊ PELA INICIATIVA. 🙂

    É uma bênção tê-lo como irmão!

    Abração.

    PS – Aceito a dica dada no meu blog. 😉

  6. Layout liiiiiiiiiiiindo, Marcelo.

    Posso roubar teu post para publicar no meu blog? Hehehehe… 😉

 

REGRAS PARA COMENTAR NOS ARTIGOS:

  1. Não use agressividade, provocações, insultos, ironias, deboches, maledicências, palavrões e coisas desse tipo, ou seu comentário será sumariamente apagado. Aceito críticas, sim, o que não aceito é falta de educação e de respeito.
  2. Não use e-mail falso ou seu comentário poderá ser apagado.

Deixe seu comentário - mas observe as regras acima!