Quando o mal vem para o bem

Uma das mais belas canções que já conheci é a que você tem a oportunidade de ouvir clicando no botão Play do quadro abaixo.

O detalhe é que agora sua letra assumiu uma conotação nova e abrangente. Percebo ter sido escrita por alguém cuja maturidade e experiência talvez eu agora esteja sendo capaz de compreender.

O fato

acidenteEm 20 de novembro último minha mulher, Gislaine, e eu sofremos um acidente de moto numa circunstância bem parecida com a da imagem à direita. Íamos passar por um carro parado e o carona repentinamente resolve abrir a porta. Gislaine felizmente teve apenas escoriações leves decorrentes de nossa queda, mas na violenta pancada contra a porta fraturei a perna e o pé esquerdos. Passei 10 dias internado, sofri duas cirurgias, estou com uma haste de titânio parafusada à tíbia fraturada, ando temporariamente de muletas e ainda não comecei fisioterapia.

Nós, que buscamos manter uma estatura espiritual elevada, tendemos a nos perguntar: por que isso aconteceu?

Dúzias de respostas poderiam ser sugeridas, mas apenas um pequeno punhado delas faria sentido no contexto eterno em que estamos inserimos. Meu artigo anterior O propósito das provações: das trevas para a gloriosa luz fornece parte dessas respostas, mas felizmente elas não são as únicas. O leitor interessado em explorar este assunto é convidado a ler aquele artigo antes de prosseguir na leitura deste.

As lições

Caído no asfalto quente, gemendo de dor pela perna e pé fraturados, com minha angustiada mulher esquecendo suas próprias dores pela preocupação em saber se eu estava consciente e respirando dentro do despedaçado capacete e com a crescente aglomeração de solícitos transeuntes oferecendo ajuda e sacando seus celulares para chamar socorro, eu só tinha um sentimento no peito: o de paz e confiança em meu Pai Celestial. Naquele tão aflitivo momento não havia em mim o menor fiapo de dúvida de que Ele havia permitido a ocorrência daquele doloroso e imprevisível acidente por propósitos divinos que eu ainda viria a compreender. Em momento algum tive sentimento de queixa contra Deus, tal como, em situação semelhante, disse um antigo profeta das Américas:

“Não obstante, voltei-me para Deus e louvei-o todo o dia; e não murmurei contra o Senhor por causa de minhas aflições.” (1 Néfi 18:16)

Essa foi a razão pela qual meu cunhado, que também veio em nosso socorro, depois prestou testemunho dizendo: “era incrível como ele estava calmo!”

Fortalecer o casamento

Mesmo com meu raciocínio obliterado pela dor excruciante das fraturas (uma delas exposta), o primeiro daqueles propósitos divinos me pareceu óbvio: era intenção dos Céus fazer com que minha mulher e eu nos aproximássemos ainda mais, não só naquele momento como em toda longa e extensa cadeia de eventos subsequentes. Todo casal que almeja o mais alto grau de glória do Reino Celestial precisa estar fortemente unido. Em Sua onisciente sabedoria, o Pai certamente achou que essa seria uma forma adequada de nos dar essa aula. Deu certo. A lição foi aprendida. Agora é só continuar fazendo o dever de casa.

Caridade

Um outro propósito era nos dar testemunho da veracidade das palavras do Salvador: “adoeci, e visitastes-me” (Mateus 25:36). O acidente nos envolveu numa onda de solidariedade, consideração e amoroso cuidado de muitas pessoas preocupadas até com os mínimos detalhes de nosso bem estar. Vimos quem são nossos verdadeiros amigos, quem são os que altruisticamente se importam conosco e quem são os capazes de demonstrar abnegada caridade, graças à qual, inclusive, nosso Natal foi milagrosamente salvo. Foi surpreendente! É por meio desses anjos disfarçados de pessoas comuns que o Senhor nos abençoa e cuida de nós, razão pela qual temos o mandamento de amar-nos uns aos outros como Ele nos ama.

Mais que isso: a caridade de nossos irmãos e amigos agora nos coloca em dívida ainda maior com Ele, pois, tão logo estejamos recuperados, teremos a obrigação moral e espiritual de retribuir, servindo a quem nos serviu e a outros que vierem a precisar de nossa caridade, altruísmo e abnegação.

Oportunidade

O acidente forçou uma traumática parada em minha vida, especialmente nos aspectos profissional e acadêmico e em parte do aspecto familiar. Mas foi justamente essa parada forçada que me permitiu ver uma oportunidade de mudança que eu jamais teria percebido não fosse o acidente. Essa oportunidade é algo pelo que eu vinha esperando há décadas! Meu Pai Celestial pode muito bem ter usado o acidente para me dar esse presente. A figura abaixo ilustra bem o que quero dizer. Uma grande novidade acontecerá no primeiro bimestre de 2014.

portas

Em tudo isso reconheço a bondosa e cuidadosa mão do Senhor. Como Ele mesmo disse:

“E em nada ofende o homem a Deus ou contra ninguém está acesa sua ira, a não ser contra os que não confessam sua mão em todas as coisas e não obedecem a seus mandamentos.” (D&C 59:21)

Nesse contexto, como eu disse no início, as palavras de Almir Sater agora fazem mais sentido:

Ando devagar
Porque já tive pressa
E levo esse sorriso
Porque já chorei demais

Hoje me sinto mais forte
Mais feliz, quem sabe
Só levo a certeza
De que muito pouco sei
Ou nada sei

(…)

Penso que cumprir a vida
Seja simplesmente
Compreender a marcha
E ir tocando em frente

Como um velho boiadeiro
Levando a boiada
Eu vou tocando os dias
Pela longa estrada, eu vou
Estrada eu sou

(…)

Cada um de nós compõe a sua história
Cada ser em si
Carrega o dom de ser capaz
E ser feliz

Feliz 2014. 😉

 

(Visited 227 times, 1 visits today)

Artigos relacionados:

  • Nenhum artigo relacionado
Publicado em Diário pessoal com a(s) tag(s) , , . Adicione o link permanente deste artigo a seus favoritos.

7 comentários em Quando o mal vem para o bem

  1. Jeeh Campos disse:

    Obrigado por te compartilhado estes momentos. Me fez refletir novamente alguns acontecimentos de minha vida, e me fortaleceu . Obrigado por ter nos recebido hj a tarde tbm, e ter tido a MAIOR paciencia com meus bbs. Seja bem vindo e estamos totalmente a disposiçao nao exite em nos chamar. (:

  2. Vania Carlos Da Silva disse:

    Apreciei muito seu artigo. Sei, como compartilhei ontem em minhas visitas, “um justo jamais será desamparado e que as provações são bençãos disfarçadas. O Senhor é o Deus do impossível. Devemos continuar perseverando com muito otimismo. Desejo que possas ter uma excelente recuperação, mas acima de tudo que possamos desfrutar da companhia consoladora do Santo Espírito. Feliz 2014.

  3. Nilza disse:

    Fico feliz que tenha crescido com tudo o que aconteceu.
    As provações (tive e estou tendo as minhas também) são para nosso crescimento e fortalecimento.
    Sempre saímos melhor de situações assim.
    Espero que se recuperem brevemente e que 2014 seja realmente o ano das grandes realizações.
    Parabéns, pelo artigo e por ser quem é.

    • Marcelo Todaro disse:

      Obrigado, Nilza. O duro é suportar e aprender com a provação enquanto ela ainda acontece. É mais fácil ver as lições dela depois que já passou, mas enquanto estamos nela é bem difícil.

 

REGRAS PARA COMENTAR NOS ARTIGOS:

  1. Não use agressividade, provocações, insultos, ironias, deboches, maledicências, palavrões e coisas desse tipo, ou seu comentário será sumariamente apagado. Aceito críticas, sim, o que não aceito é falta de educação e de respeito.
  2. Não use e-mail falso ou seu comentário poderá ser apagado.

Deixe seu comentário - mas observe as regras acima!