‘Vozes Mórmons’: uma laranja podre na fruteira SUD

lobo-em-pele-de-cordeiroMuito tempo atrás, fez parte do meu grupo Mórmons do Brasil no Yahoo um médico que se dizia membro da Igreja. Sua participação no grupo era absolutamente insuspeita: suas opiniões e contribuições, sempre muito bem articuladas e persuasivas, pareciam coadunar-se com a doutrina e cultura dos Santos dos Últimos Dias.

A partir de um dado momento, contudo, e usando de seu peculiar poder de persuasão e eloquência, começou a inserir no grupo sutis e bem disfarçadas defesas de coisas estranhas à nossa doutrina, como casamento gay e outras. Mais ou menos na mesma época outro participante começou a defender o casamento plural (poligamia), outra doutrina contrária à da Igreja.

Em particular, adverti-os para que parassem, pois estavam infringindo as regras do grupo e a reincidência me forçaria a tomar providências. Incomodado pela falta de liberdade de dizer o que quisesse, aquele que enaltecia o casamento plural espontaneamente saiu do grupo. O médico, por sua vez, com o cinismo típico de quem não respeita regras, me ignorou solenemente e continuou postando o que não devia. Tive que expulsá-lo.

O cômico depois foi vê-lo querendo me convencer de que as coisas eram como achava que eram só porque estava dizendo que eram e minha recusa em aceitar isso, segundo ele, demonstrava que eu sofria de “dissonância cognitiva”. Só rindo mesmo… 😉

Algum tempo depois tomei ciência da existência de uma certa Associação Brasileira de Estudos Mórmons. Curioso, fui pesquisá-la. Descobri que a tal associação é mantida por aquele mesmo médico e por pessoas que compartilham de seu ponto de vista, publicando coisas como as satânicas “filosofias dos homens mescladas com escrituras” contra as quais somos advertidos no templo.

Derivou daquela tal associação o blog Vozes Mórmons, cujo principal fomentador é o referido médico.

A armadilha do blog começa pelo próprio nome, “Vozes Mórmons”. O visitante desavisado pode pensar que representa a crença e a cultura mórmon quando na verdade é bem o oposto disso.

No blog o médico se apresenta como ex-missionário nascido e criado na Igreja, mas esconde o fato de não mais pertencer a ela. De acordo com a publicação The New Expositor, número 7 (outubro de 2008), pg. 3, ele pediu para ter seu nome removido dos registros da Igreja. Significa que renunciou à sua condição de mórmon, ainda que não o assuma publicamente. Há relatos segundo os quais ele não permite que se mencione tal renúncia no blog ou na fan page da associação no Facebook, impedindo qualquer tentativa de fazê-lo. Parece óbvio que a intenção é esconder sua condição de apóstata, possivelmente para não prejudicar a aparência de credibilidade e representatividade mórmon pretendida para si e para o blog.

Nos comentários de um dos artigos o blog assume-se como sendo “o contra-peso para oferecer voz para esses membros que são a minoria e quase não são ouvidos”, referindo-se a uma minoria que prefere mudar a Igreja em vez de mudar a si mesma, como o Senhor ordena (ver Mateus 18:3-4), e como se a Igreja fosse de homens e não de Jesus Cristo (ver D&C 1:30). Isso explica o tom queixoso e rancoroso da grande maioria dos artigos, que meramente regurgitam material já desacreditado nos EUA extraído de sites e fóruns em inglês cheios de lixo antimórmon, dos quais o médico é frequentador assíduo. Muito do que se publica no blog não é de autoria deles de fato.

Por meio de material desse tipo os autores parecem praticar o esporte de ficar procurando defeitos na Igreja, na doutrina, nas escrituras e em líderes e membros. Repletos de sofismas, falácias e teorias conspiratórias que dão aos artigos uma aparência de verdade, os textos parecem ter a intenção de causar no leitor desavisado uma impressão sombria da Igreja e de tudo que diga respeito a ela. Querem fazer crer que está sempre errada em alguma coisa ou que tem algo a esconder ou de que se envergonhar — como o fanático torcedor de um time falando do time rival ou como um nazista falando de judeus e negros.

Como era de se esperar, o blog conquistou o aplauso e louvor da minoria de quem se diz porta-voz. Os comentários dos artigos geralmente estão carregados da mesma acidez crítica impregnada nos textos.

Ainda que a alegria deles seja fazer oposição à Igreja, não admitem oposição a si próprios. Há diversos relatos de pessoas que tentaram publicar comentários bem intencionados com correções para os erros dos artigos e tiveram seus comentários bloqueados. Querem criticar, mas não querem ser criticados. É o velho “faça o que digo, não o que faço”. Todo mundo sabe que nome isso tem.

Desconfia-se, inclusive, que esse médico seja a personagem “Raimunda”, que administrava o grupo “Ex-Mórmons Brasil” no finado Orkut, no qual sua participação era sempre impregnada de difamação, sarcasmo, infâmia, maledicência e outros atributos menos dignos, conforme relato no artigo Esses antimórmons são uma graça!.

Isso tudo talvez se explique por meio de recente testemunho dado a mim em particular por alguém que afirma conhecer de perto o médico e sua família desde a infância. Essa pessoa acha que ele é portador de algum distúrbio psicológico que o faz nutrir certa paranoia contra a Igreja. Segundo essa testemunha, a mãe dele, que é membro fiel, sofre grande aflição com a obsessão do filho de cuspir no prato em que comeu. Então talvez sua insistência em afirmar que quem não vê as coisas sob sua ótica sofre de “dissonância cognitiva” seja sua maneira inconsciente de dizer que na verdade quem tem esse distúrbio é ele próprio.

Então, que fique bem claro: apesar do nome enganoso, o Vozes Mórmons NÃO é um blog espiritualmente saudável. Histórica ou doutrinariamente, NÃO é confiável. É bem aquilo que a foto acima representa. Pedir-lhes para falar da Igreja é tão salutar quanto pedir ao Estado Islâmico que fale dos cristãos.

É como certa vez disse o Élder Neal A. Maxwell, do Quórum dos Doze Apóstolos:

Alguns insistem em investigar a Igreja apenas pelo ponto de vista de seus desertores — é como entrevistar Judas para entender Jesus. Os desertores sempre nos dizem mais sobre si mesmos do que sobre a organização que abandonaram.

Que todos façamos da revelação pessoal de Deus uma luz a nos guiar em meio às trevas de sórdidas apostasias como essa. Tenhamos em mente que críticos e opositores estão fadados ao fracasso e esquecimento. Como disse Aquele que está à frente da Igreja contra a qual lutam (D&C 6:34):

Portanto, não temais, pequeno rebanho; fazei o bem; deixai que a Terra e o inferno se unam contra vós, pois se estiverdes estabelecidos sobre minha rocha, eles não poderão prevalecer.

E também, como disse o Presidente George Albert Smith em Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: George Albert Smith, capítulo 6:

Aqueles que se opõem e apontam defeitos não terão alegria em sua oposição. Aqueles que criticam e procuram destruir a influência dos líderes da Igreja sofrerão as consequências de suas afrontas.

Leitura adicional recomendada:

[ATUALIZAÇÃO em 14/12/2015] — Fazendo uma pesquisa no Google encontrei, para minha desagradável surpresa, três comentários publicados no Vozes Mórmons por alguém fazendo-se passar por mim. Os comentários, todos de igual teor e publicados em artigos diferentes, dizem:

falsidade_ideologica_1

falsidade_ideologica_2

falsidade_ideologica_3

Quero deixar claro e público que não sou o autor desses comentários, pois:

  1. Não acredito no que foi dito e não concordo com essas afirmações;
  2. Eu não redigiria comentários repletos de erros de acentuação e pontuação;
  3. Não frequento aquele blog.

 

(Visited 7.284 times, 6 visits today)

Artigos relacionados:

Publicado em Diário pessoal com a(s) tag(s) . Adicione o link permanente deste artigo a seus favoritos.

58 comentários em ‘Vozes Mórmons’: uma laranja podre na fruteira SUD

  1. Giancarlo disse:

    Caso interesse, dois dos fundadores da ABEM deram uma entrevista (em ingles) sobre o afastamento deles da Igreja e fundação da ABEM.

    http://www.mormonmatters.org/2012/08/01/114-116-brazilian-mormonism/

  2. Cauanne disse:

    Tudo que dizem sobre a Igreja de Jesus Cristo Dos Santos dos Últimos Dias é mentira, ela é uma igreja que merece respeito, eu sou mórmon e não tenho vergonha disso.

  3. Luzia disse:

    Por isso temos que alimentar nosso testemunho todos os dias, fortalecer o espírito, por que a luta está brava hoje em dia, se não estivermos espiritualmente sintonizados, facilmente seremos enganados por esses lobos disfarçados de cordeiros . Já ouvi e li algumas coisas desse site, mas nunca conseguir seguir em frente por que os assuntos me incomodavam. Mas obrigado irmão por esclarecer tudo isso, infelizmente muitos acreditarão nas falsas doutrinas … 🙁

  4. Quando eu estava me reativando na igreja me deparei com esse site, confesso que me causou estranheza e confusão. Eu tive dificuldade em detectar sua real intenção devido às postagens bem elaboradas, confiei mais no meu testemunho e sentimentos sobre a igreja do que naquilo que lia. Eu via muitos membros dizendo que eles eram ex-membros que haviam apostatado, mas um defensor deles diz que um dos idealizadores dessa página foi ordenado bispo e que os demais são todos membros ativos, mas eu já desconfiava que não era verdade tal alegação. Pena que não tenho um nível adequado em inglês para traduzir o link do New Expositor e confrontar seus defensores mais cegos.

  5. Gilvan disse:

    Francamente falando, estou cheio dessa baboseira desses apóstatas que falam mal da Igreja. São pedras de tropeço para os membros da Igreja desavisados.

  6. Gian disse:

    Acompanhei, recentemente, algumas postagens do site Vozes Mormons e realmente me senti incomodado.

    Embora, no referido site, seja informado que seu objetivo é o de promover estudos do mormonismo sob o ponto de vista acadêmico, acredito que na prática não é bem isso que acontece.

    Os mantenedores do site possuem bom conhecimento sobre a história do mormonismo, eventualmente trazem documentos e informações interessantes, mas não se demora muito para perceber que o objetivo primordial é o de atacar a Igreja.

    A maioria das postagens são escritas dando uma conotação negativa à Igreja. Algumas vezes os ataques a Igreja são bem disfarçados, outras vezes eles “forçam a barra”, distorcem a realidade sem muita cerimônia, e chegam a conclusões absolutamente incoerentes, sempre em desfavor da Igreja.

    Por vezes, também são trazidas notícias sobre a Igreja, mas somente são publicadas aquelas que possam ter algum enfoque negativo.

    Recentemente o VM publicou uma reportagem sobre alunas da BYU que foram vítimas de violência sexual dentro do campus. A notícia é verdadeira, o fato é grave. Na minha opinião, esta notícia até merecia ser comentada e debatida, mas desde que fosse de forma imparcial e construtiva, o que não acontece no VM. Parece que eles não estão muito preocupados com o fato em si, nem com as vítimas. Passa-me a impressão que eles somente ficam contentes em achar uma notícia que possa ser usada para atacar a Igreja.

    Notícias positivas sobre a Igreja (tem muitas) não aparecem no VM.

    Os membros da ABEM são pessoas cultas e escrevem de forma articulada, mas não há absolutamente nada de excepcional ali, como você bem destacou, parte do que é publicado não é produzido por eles, eles apenas repassam o que outros escreveram.

    Além do mais o referido médico não se sustenta em um debate inteligente, quando alguém “ousa” contestar suas ideias, ele parte para o ataque.

    Ele já chamou alguns leitores do site de “ignorantes”, “que não sabem interpretar um texto”, etc.

    Os argumentos contrários às posições do site Vozes Mormons geralmente são classificados como sendo “estúpidos” “ilógicos”, entre outras ofensas.

    Uma pessoa que debate com inteligência e elegância não necessita usar dessas ofensas para argumentar com uma pessoa que tenha posição contrária à sua.

    Outra coisa que me deixa triste, algumas das pessoas que ali comentam tem dificuldade de se expressar na forma escrita: cometem alguns erros de gramática ou ortografia. Para estes, o tal medico geralmente dispensa um tratamento jocoso e humilhante.

    Existe uma frase que diz : ” O conhecimento serve para encantar as pessoas, não para humilhá-las” – Mario Sergio Cortella.

    É difícil entender a posição dele, que resignou por protesto e por vergonha, mas que mesmo assim afirma ter o direito de se auto caracterizar “mormon”.

    Todaro, acho que você acertou ao se referir a essas pessoas como aqueles que preferem mudar a Igreja em vez de mudar a si mesmos.

    Quanto a esta testemunha que acredita que o médico seja portador de algum distúrbio psicológico… tive a mesma impressão. Logicamente que não posso fazer nenhuma afirmação concreta sobre o assunto, pois não conheço o médico pessoalmente e também não sou profissional da área (não sou psicólogo ou psiquiatra), portanto não tenho competência para afirmar se alguém é ou não portador de tal distúrbio.

    No entanto, ao ler o VM senti que existe algo perturbador alí….

    Chama a atenção a frequencia com que surgem novas postagens, as vezes mais de uma por dia.

    Estes senhores tem suas profissões, e até onde sei não ganham dinheiro através do site, mas mesmo assim despendem muito tempo para mantê-lo. Seria isso uma obsessão?

    Alguns dos artigos parecem ser feitos unicamente para provocar. Só para citar um exemplo existe um artigo intitulado “Quanto ganha um Apóstolo Mórmon?”. Neste artigo existe uma foto do Presidente Monson segurando um papel e na legenda da foto está escrito: “Henry Eyring tenta ler o extrato bancário de Thomas Monson. Ele também quer saber…”

    Somente por este exemplo é possível ver que o objetivo do site não é o de promover o estudo do mormonismo sob o ponto de vista acadêmico, tampouco o de promover a livre troca de ideias. Eles são é mal intencionados mesmo.

    Quanto ao blog Estandarte, eu também não gostei, por algumas razões que não irei expor aqui.

    Mas para terminar, gostaria de fazer um elogio, gostei muito do blog SUDBR.org. Somente tomei conhecimento desse blog porque o Leandro Ginatto fez um comentário aqui no dia 03/01/2016. Aproveito para parabenizar o Leandro, recomendo o Blog dele! Parabens a vc tb Todaro por este blog.

    • Marcelo Todaro disse:

      Obrigado, Gian. Fico feliz que aprecie meu esforço.

      Um abraço!

    • Valdete José dos Santos disse:

      Achei muito bom ou melhor ótimo o seu esclarecimento, eu só procuro ver sites oficiais da igreja por ser duvidosos os outros mas me tirou muitas dúvidas que eu tinha ainda ,agradeço por se preocupar com esses detalhes que com certeza já fez alguém se afastar e você os fez voltar .

  7. Começa a preparar um post sobre o blog fundamentalista Estandarte.

    • Marcelo Todaro disse:

      Maurício, não vejo no Estandarte o problema que vejo do VM, como o de ser um blog crítico à Igreja disfarçado de apologético.

      É como digo no meu artigo: o VM é composto por gente que prefere mudar a Igreja em vez de mudar a si mesma, como o Senhor requer de quem O segue. Não vejo isso no Estandarte.

      Um abraço!

  8. Marcelo Santos disse:

    Meu Xará.

    Quero te agradecer por essa maravilhosa “revelação” dada a mim através de você. Sim, revelação mesmo, digo isso pois assim a recebo.

    Sou membro SUD fazem 15 anos, missionário retornado, casado e selado na igreja, e acompanho seu blog já faz muito tempo. O problema é que também faz muito tempo que acompanho o Vozes Mórmons, leio tudo que publicam e, apesar de sentir que não deveria, continuei seguindo até hoje, inclusive recebo os artigos desse site em meu email sempre que tem algo novo. Eu disse que continuo seguindo até hoje, mas somente até hoje, pois isso acaba aqui. Através dessa matéria que acabo de ler e que a recebo como revelação para mim, pois assim o senti, findo minha “ligação” com essa laranja podre.

    Obrigado meu Xará!

    • Marcelo Todaro disse:

      Fico feliz em saber que meu artigo foi de alguma utilidade para você.

      Um abraço! 🙂

      • Ana Maria Mello disse:

        eu também pensei que esse “Vozes Mórmons” era da igreja apesar de ainda não ter tido contato com eles pois vi outro dia como estava sem tempo deixei para entrar depois ainda bem que vi sua matéria tempo, obrigado.

  9. Maria Lourdes Rodrigues Cabreira disse:

    Amei tudo por aqui. Obrigada irmão Marcelo por sua dedicação. Incontáveis pessoas serão inspiradas por sua diligência em seus registros.

  10. mateus disse:

    pode me explicar resumidamente pq a igreja nao aceitava negros?

    • Marcelo Todaro disse:

      Mateus,

      Em primeiro lugar, não é verdade que a Igreja não aceitava negros. Eles fazem parte da história da Igreja desde sempre.

      O que acontecia é que até 1978 eles não podiam receber o sacerdócio, que é bem diferente de não aceitar negros.

      Mas, então, se você me perguntar por que não podiam receber o sacerdócio, minha resposta é: não sei. Assim como também não sei por que durante 2500 anos o sacerdócio foi negado pelo Senhor a quem não fosse levita (descendente de Levi). Os levitas eram um grupo que representava menos de 1/12 da nação israelita (Números 3:5-10). Mesmo dentre os levitas, o Senhor negava o sacerdócio a quem tivesse algum defeito físico — esses não podiam sequer passar do véu do tabernáculo (Levítico 21:16-23).

      Também não sei por que o Senhor negou a Seu povo o direito de contrair matrimônio fora de Israel (Neemias 13:1-3,23-30).

      Também não sei por que o Senhor negou aos apóstolos permissão de pregar o evangelho a gentios e samaritanos (Mateus 10:5-6).

      Também não sei por que o Senhor negou a todos os homens de Seu povo o direito de se casarem com mais de uma mulher ao mesmo tempo, direito esse concedido apenas a algumas pessoas (Gênesis 16:1–11; 29:21–28; 30:4, 9, 26; Êxodo 21:10).

      Há muita, muita coisa dentro do evangelho que não entendo. Mas nem por isso deixo de aceitá-lo e vivê-lo como se fosse parte do meu DNA, pois sei que vem de nosso Criador e Pai Eterno e que, no devido tempo, Ele revelará as respostas de tudo. Confio Nele o suficiente para saber que Ele teve e tem Seus sábios e justos motivos para fazer o que, a nossos limitados, falíveis e parciais olhos mortais, pode parecer estranho, errado, politicamente incorreto, discriminatório, etc.

      Então, havia uma razão — que ainda não conheço — para que o Senhor negasse a Seus filhos de pele negra o direito de portar Seu sacerdócio. Um dia todos saberemos (você inclusive) que razão era essa.

      Espero ter ajudado.

      Um abraço!

      • Ana Maria Mello disse:

        muito boa essa explanação sobre várias passagens e livros da bíblia com questões que não entendemos o porque pois para muitos quando falamos nessas questões dentro da igreja a qual pertencemos somos duramente criticados como preconceituosos e outras coisas mais creio que um dia encontraremos respostas para tudo isso acho que agora não temos maturidade “espiritual” e temos que andar pela FÉ, fé em Deus como nosso pai e em Jesus Cristo como nosso Salvador !!

        • Marcelo Todaro disse:

          É bem por aí, Ana Maria. Muitas dessas respostas ainda não nos foram dadas porque, do ponto de vista espiritual, ainda não temos maturidade para entendê-las. Nossa parte, então, é termos fé Nele para sabermos que Ele tem Seus motivos e que são justos. E que esses motivos serão revelados e compreendidos no momento oportuno.

          Um abraço!

      • Roberto disse:

        Ja li varios blogs Mormons e anti Mormons, Os anti Mormons sao faceis de identificar assim como os blogs Mormons, li varios artigos no Vozes Mormon e todos sao bem escritos com varias referencias, muitas tiradas dos proprios sites da Igreja. O problema e que a maioria dos membros estao acostumados com leite e biscoito servidos nas reunioes da igreja que acabam falhando miseravelmente em entender a historia da Igreja sem falar da doutrina, por isso quando se deparam com informacoes e doutrinas mais profundas acabam achando que se trata de algo anti Mormon, O site Vozes Mormon oferece a oportunidade de falar abertamente sobre tudo que se refere ao Mormonismo, nao somente a igreja SUD. Certamente nao e um site para pessoas com fraco conhecimento da igreja e da doutrina Mormon, nao e um site para pessoas cujo testemunhos sao baseados em lideres, emocoes ou naquilo que a igreja coloca na cabeca das pessoas. Aqueles que tem um testemunho forte e real da restauracao e do Livro de Mormon certamente vai se interessar pelo site Vozes Mormons, porque eles exploram aquilo que nao se discute ou e ate proibido na igreja de falar. Para obtermos salvacao necessitamos de conhecimento e nos limitar ao uma unica fonte nao e saudavel. Joseph Smith ensinou que deviamos buscar conhecimento sempre, BY disse a mesma coisa, que devemos buscar conhecimento onde puder, ate no inferno se for preciso.

        • Marcelo Todaro disse:

          Oi, Roberto.

          Você disse:

          li varios artigos no Vozes Mormon e todos sao bem escritos com varias referencias, muitas tiradas dos proprios sites da Igreja.

          O fato de haver referências de sites da Igreja nos artigos não os torna mais confiáveis só por causa disso. Não significa que não haja viés crítico no texto só por ter sido embasado em algo publicado pela Igreja. Se fosse assim, Satanás não seria capaz de usar as próprias escrituras para enganar as pessoas — e ele as conhece muito bem.

          O problema e que a maioria dos membros estao acostumados com leite e biscoito servidos nas reunioes da igreja que acabam falhando miseravelmente em entender a historia da Igreja sem falar da doutrina

          Isso é meramente opinião sua e não necessariamente condiz com a verdade.

          por isso quando se deparam com informacoes e doutrinas mais profundas acabam achando que se trata de algo anti Mormon

          Errado. É muito fácil discernir o que é “doutrina profunda” (coisa que na verdade nem existe) do que é nhenhenhém da oposição.

          Certamente nao e um site para pessoas com fraco conhecimento da igreja e da doutrina Mormon, nao e um site para pessoas cujo testemunhos sao baseados em lideres, emocoes ou naquilo que a igreja coloca na cabeca das pessoas.

          Muito pelo contrário! São justamente as pessoas com profundo conhecimento da Igreja e de sua doutrina as mais capazes de identificar o VM como um blog apóstata. São justamente as pessoas sem conhecimento nem testemunho que se deixam enganar pelas mentiras contadas pelo VM, pois não sabem discernir a verdade do erro.

          Aqueles que tem um testemunho forte e real da restauracao e do Livro de Mormon certamente vai se interessar pelo site Vozes Mormons, porque eles exploram aquilo que nao se discute ou e ate proibido na igreja de falar.

          Não tem nada proibido na Igreja, Roberto. Isso é mimimi de opositor. O que há é que certos assuntos não são relevantes ou são meramente mentiras. Não há porque perder tempo discutindo isso na Igreja quando se pode falar do que realmente importa, que são as doutrinas de salvação. O resto é intriga de opositor.

          Para obtermos salvacao necessitamos de conhecimento e nos limitar ao uma unica fonte nao e saudavel.

          Por essa mesma lógica, pode-se deduzir que para sermos salvos também temos que dar ouvidos a Satanás, certo?

          Ora, me poupe…

          Joseph Smith ensinou que deviamos buscar conhecimento sempre, BY disse a mesma coisa, que devemos buscar conhecimento onde puder, ate no inferno se for preciso.

          Então tá, você vai procurar conhecimento no inferno e depois veremos onde isso o terá levado. 😉

          Um abraço!

          • Roberto disse:

            Ha varios erros doutrinarios no seu comentario. Agradeco primeiramente pela sua gentileza e cordialidade em responder ao meu comentario e prefiro manter nesse tom a minha resposta. Se as mairia das referencias vem de sites e jornais da igreja o porque nao sao confiaveis? O tom critico nao deveria ser problema, lideres do passado declararam que nao deveriamos temer ou inibir aqueles que pensam de forma diferente em doutrina dentro da igreja.

            I admire men and women who have developed the questing spirit, who are unafraid of new ideas as stepping stones to progress. We should, of course, respect the opinions of others, but we should also be unafraid to dissent–if we are informed. Thoughts and expressions compete in the marketplace of thought, and in that competition truth emerges triumphant. Only error fears freedom of expression… This free exchange of ideas is not to be deplored as long as men and women remain humble and teachable. Neither fear of consequence or any kind of coercion should ever be used to secure uniformity of thought in the church. People should express their problems and opinions and be unafraid to think without fear of ill consequences. … We must preserve freedom of the mind in the church and resist all efforts to suppress it.”

            — Hugh B. Brown

            “I did not like the old man being called up for erring in doctrine. It looks too much like the Methodist, and not like the Latter-day Saints. Methodists have creeds which a man must believe or be asked out of their church. I want the liberty of thinking and believing as I please. It feels so good not to be trammeled. It does not prove that a man is not a good man because he errs in doctrine.”

            — Joseph Smith, History of the Church, 5:340

            “If we have the truth, it cannot be harmed by investigation. If we have not the truth, it ought to be harmed.”

            – President J. Reuben Clark

            A maioria dos membros nao saber a historia da igreja nao e apenas minha opiniao, ate recentemente muitos nem sabiam que Joseph Smith tinha de fato se casado com mais de 40 mulheres, uma lenda comum na igreja e achar que a poligamia servia apenas para ajudar as viuvas, Nao quera se iludir que vc pode entrar em qualquer ala do Brasil achando que os membros tenham conhecimento rasoavel da historia da igreja. Vc e uma pessoa inteligente suficiente para saber disso.

            Discordo de vc em achar que sites como Vozes Mormon seja apostata embora nao concorde com varios artigos deles, nao vejo como apostata, a definicao correta de apostata seria alguem que se afasta de Deus e seus principios e nao das regras dos lideres da igreja, a igreja e o evangelho sao duas coisas completamentes diferentes e podem existir separadamente, a historia confirma isso.

            Vc coloca tudo que seja racional como o oposicao, o site VM nao esta em oposicao a igreja ou ao evangelho, discutir algo que seja verdade ou que de fato aconteceu mesmo nao fazendo a igreja parecer certa nao significa oposicao, varios artigos discutem problemas que estao de fato acontecendo nao igreja como as profecias no LM sugerem que estejam acontecendo, basta ler o capitulo 8 de Mormon para entender que os gentios da igreja de Cristo nos ultimos dias iriam de fato se desviar do evangelho, que de fato a igreja gasta muito mais com publicidade, com ornamentos caros, sem contar com investimentos de natureza babilonia como shoppings de luxo entre outras coisas do que com ajuda aos pobres, negar isso seria negar as proprias profecias no Livro de Mormon. Obviamente nao e um assunto agradavel de dizer e membros que nao tenham um testemunho da restauracao podem de fato ficar abalados com noticias como essas, mas como eu disse se tiver um testemunho real da restauracao nao importa o que a igreja faca de certo ou de errado, nada vai abalar o testemunho adquirido atraves de oracao, estudo e revelacao pessoal.

            Vc ironiza sobre meu comentario sobre a necessidade de ter conhecimento para a salvacao em “dar ouvidos a Satanas” Nao precisa nem lembrar que Lucifer faz parte da cerimonia do endowment por alguma razao importante e sem ele Adao e Eva nao teriam entrado na mortalidade mas esse e um assunto para outra ocasiao.

            Buscar conhecimento em qualquer lugar nao foi eu quem disse entao se vc nao gostou da ideia vai reclamar para o suposto Profeta que declarou isso, BY.

            Um abraco e nao se ofenda com meu comentario, nao foi minha intencao.

            • Marcelo Todaro disse:

              Ha varios erros doutrinarios no seu comentario.

              É a sua opinião, a qual respeito, mas da qual discordo.

              Se as maioria das referencias vem de sites e jornais da igreja o porque nao sao confiaveis?

              Eu não disse que as fontes da Igreja não são confiáveis. Eu disse que elas podem e são usadas para escrever textos críticos à Igreja inserindo neles a especialidade do VM: sofismas e falácias, com as quais distorcem as coisas e dão uma aparência de verdade ao que escrevem — que é exatamente o que Satanás faz com as escrituras que ele conhece muito bem (se você já passou pelo templo deve saber disso).

              Já conheço essa tática do “médico” desde quando ele fazia parte do meu grupo no Yahoo e a ABEM ainda nem existia, época em que ele fazia uma ardorosa defesa do casamento gay dentro da Igreja, dentre outras apostasias. E costumava repetir a ladainha de que quem não concorda com o ponto de vista dele sofre de “dissonância cognitiva” — como se só ele fosse capaz de enxergar o certo e todos os discordantes não.

              O “médico” (e alguns de seus colaboradores) é apóstata, isso é fato amplamente comprovado, embora ele queira esconder. O que eles fazem no VM é apostasia. Qualquer pessoa minimamente esclarecida sobre a Igreja e sua doutrina é capaz de perceber isso. Só não vê quem não quer.

              O tom critico nao deveria ser problema, lideres do passado declararam que nao deveriamos temer ou inibir aqueles que pensam de forma diferente em doutrina dentro da igreja.

              Não tem ninguém temendo nem inibindo nada, Roberto. O propósito do meu artigo não é esse, e sim advertir os incautos sobre o caráter malicioso do VM. A partir daí, cada um julga por si mesmo.

              E não há motivo justificável algum para discutir críticas à Igreja nas reuniões dominicais. O propósito da Igreja não é ficar se defendendo de críticos mal informados ou mal intencionados nas reuniões de adoração (para isso existe o canal de Assuntos Públicos e os pronunciamentos oficiais da Sala de Imprensa). Não é para isso que se vai à Igreja aos domingos.

              Nao quera se iludir que vc pode entrar em qualquer ala do Brasil achando que os membros tenham conhecimento rasoavel da historia da igreja. Vc e uma pessoa inteligente suficiente para saber disso.

              Um motivo a mais para ter escrito este artigo, a fim de tornar público o fato de que o VM não é uma fonte de pesquisa confiável. É como procurar Judas para falar de Jesus, como diz a citação do Élder Maxwell no artigo.

              Discordo de vc em achar que sites como Vozes Mormon seja apostata embora nao concorde com varios artigos deles, nao vejo como apostata, a definicao correta de apostata seria alguem que se afasta de Deus e seus principios e nao das regras dos lideres da igreja, a igreja e o evangelho sao duas coisas completamentes diferentes e podem existir separadamente, a historia confirma isso.

              Se isso fosse verdade eu não poderia ser membro da Igreja. Sou justamente porque não é. Simples assim.

              Vc coloca tudo que seja racional como o oposicao

              Errado. Coloco a oposição como oposição, não o que é racional. Nem tudo que é racional é oposição, assim como nem toda oposição é racional.

              Olha, pra ser franco, eu poderia passar o resto da vida argumentando com você e enumerando cada um dos muitos enganos da sua argumentação, mas não tenho tempo nem disposição para isso.

              O fato é que mantenho tudo que disse, tanto no artigo quanto nos comentários, e não me desculpo. Estou absolutamente seguro do que digo.

              Se quer saber, eu queria que a Segunda Vinda acontecesse hoje mesmo. Aí veríamos o joio ser separado do trigo e saberíamos quem tinha razão. Tenho certeza de que para mim esse será um dia agradável e feliz. Espero que seja para todos os que fazem o VM também.

              Um abraço!

              • Roberto disse:

                Eu tambem gostaria que Cristo viesse hoje mesmo, nesse ponto concordamos mas infelizmente temos que continuar nossa batalha aqui na terra. Obrigado pela resposta apesar de discordarmos em alguns pontos vamos continuar a lutar contra o mal seja de onde venha. Um abraco.

  11. Tony Souza disse:

    Sempre houve quem lutasse contra a obra do Senhor. Como prometeu Isaías, essas pessoas não terão sucesso em sua luta contra nós. O Presidente Gordon B. Hinckley ensinou que as obras dessas pessoas não teriam efeito:

    “Tão certo quanto este é o trabalho do Senhor, haverá oposição. Haverá muitos que com sofismas, palavras enganadoras e astúcia irão espalhar a dúvida e procurar minar o fundamento desta causa. Seu brilho será breve. Eles poderão receber, por algum tempo, o aplauso dos que duvidam, dos céticos e críticos, mas irão desaparecer e ser esquecidos, como os de sua espécie no passado. Enquanto isso, iremos avante, apesar das críticas, cientes de suas ações e palavras, porém sem nos deixar intimidar.” (Deus Está ao Leme, Conferência Geral, julho de 1994)

  12. Ana Paula disse:

    Gente, fico pensando em até onde vai essa discussão??? Combati o bom combate diz o apóstolo Paulo. Irmão Marcelo Todaro, entendo que é um membro fiel, que defende a Igreja e sua doutrina com unhas, dentes, aliás, com corpo inteiro… mas você não vai conseguir mudar a cabeça e o coração de ninguém. Esse não é o nosso papel. As escrituras dizem: ” … porque quando um homem fala pelo poder do Espírito Santo, o poder do Espírito Santo leva as suas palavras ao coração dos filhos dos homens”. (2Néfi 33:1) O Espírito leva a palavra ao coração dos homens, mas para isso temos que está cheios dele. A ira afasta esse espírito. Por isso as escrituras dizem: “Não deixeis o sol se por sobre tua ira”.

    O Élder David A. Bednar, do Quórum dos Doze Apóstolos, fez a seguinte declaração sobre 2 Néfi 33:1: “Queiram observar como o poder do Espírito leva a mensagem ao coração, mas não faz obrigatoriamente com que ela entre no coração. O professor pode explicar, demonstrar, persuadir e testificar, e pode fazê-lo com grande força espiritual e eficácia. No final, porém, o conteúdo da mensagem e o testemunho do Espírito Santo só entram no coração daqueles que o permitem. O aprendizado pela fé abre o caminho para que a mensagem entre no coração do aluno” (“Seek Learning by Faith”, Ensign, setembro de 2007, p. 61)

    Desde meus 13 anos sou membro da igreja. Meus esposo e eu fizemos missão (eu em Manaus e ele em Londrina) e confesso que nesses últimos anos tivemos muitas decepções na Igreja que é feita por doutrinas e por homens. Os homens são falhos sim, são cruéis, são hipócritas, são injustos, tem seu lado podre mesmo, mas o principal que deve ser o autor e consumador de nossa fé é Perfeito, Leal e Socorro bem presente: Jesus Cristo. Quanto ao meu Salvador só tenho a agradecer por sua infinita bondade, quanto a alguns líderes e membros só tenho a lamentar pelo mau exemplo e pedir ao Senhor que não me falte fé e bondade.

    Fique com Deus irmão, prossiga com fé e com o seu exemplo, pois como dizia Confúcio: A palavra convence, o exemplo arrasta.

    Ana Paula
    (Fortaleza)

    • Marcelo Todaro disse:

      Obrigado por seu comentário, Ana Paula.

      Você disse:

      você não vai conseguir mudar a cabeça e o coração de ninguém. Esse não é o nosso papel.

      Nem é minha intenção fazê-lo. O que pretendo é só lançar uma voz de alerta contra a má fé do Vozes Mórmons como lobo disfarçado de ovelha que é. Sabendo disso, eu não dormiria em paz se não o fizesse.

      nesses últimos anos tivemos muitas decepções na Igreja que é feita por doutrinas e por homens. (…) quanto a alguns líderes e membros só tenho a lamentar pelo mau exemplo

      Em resposta a um comentário anterior feito por Fernando Antonio de Lima citei trecho do discurso Preocupação pela Ovelha Perdida, do Élder Joseph B. Wirthlin, do Quórum dos Doze, proferidos na Conferência Geral de abril de 2008, que eu gostaria de citar para você também. Disse ele:

      Com exceção do Senhor, todos cometemos erros. A questão não é saber se cairemos ou tropeçaremos, mas, sim, como reagiremos. (…) Sabiam que a Igreja é um lugar em que pessoas imperfeitas se reúnem — mesmo com todas as suas fraquezas mortais — para aprender como se tornarem melhores? Todos os domingos, em todas as capelas do mundo, encontramos homens, mulheres e crianças mortais e imperfeitos, que se reúnem esforçando-se para tornarem-se melhores, para aprender por meio do Espírito e incentivar e apoiar uns aos outros. Nunca vi nenhuma placa na porta de nossas capelas com os dizeres: “Entrada Permitida Somente para Pessoas Perfeitas”.

      É por causa de nossas imperfeições que precisamos da Igreja do Senhor. É nela que as doutrinas de redenção de Cristo são ensinadas e Suas ordenanças de salvação são ministradas. A Igreja nos incentiva e motiva a ser pessoas melhores e mais felizes. Também é um lugar em que podemos entregar-nos ao serviço ao próximo.

      O Senhor sabe que cometeremos erros. É por isso que Ele sofreu por nossos pecados. Ele quer que voltemos a nos erguer e nos esforcemos para melhorar.

      O Élder Wirthlin também disse:

      A Igreja não é o lugar onde as pessoas perfeitas se reúnem para dizer coisas perfeitas, ter pensamentos ou sentimentos perfeitos. A Igreja é o lugar onde as pessoas imperfeitas se reúnem para proporcionar umas às outras incentivo, apoio e serviço à medida que progredimos em nossa jornada de retorno ao nosso Pai Celestial. (A Virtude da Bondade, Conferência Geral, abril de 2005.)

      Eu também disse em resposta ao Fernando que um dos passos para cumprir os ensinamentos do Élder Wirthlin é não criticar líderes e outros membros, pois eles são pessoas humanas e imperfeitas tanto quanto você e eu. Que não cometamos o pecado denunciado pelo Salvador em Mateus 7:3-5.

      O que quero dizer é que precisamos olhar para as falhas dos outros com os mesmos olhos de misericórdia e perdão com que esperamos sermos vistos pelas nossas. Até porque também inúmeras vezes o Senhor nos advertiu que só seremos perdoados por nossas falhas se perdoarmos as dos outros. Em uma dessas advertências Ele nos diz:

      “Eu, o Senhor, perdoarei a quem desejo perdoar, mas de vós é exigido que perdoeis a todos os homens. E devíeis dizer em vosso coração: Que julgue Deus entre mim e ti e te recompense de acordo com teus feitos.” (D&C 64:10-11, destaque meu.)

      Num coração realmente misericordioso, compassivo e disposto a perdoar, não há espaço para sequer se lembrar das falhas de líderes e membros, quanto mais mencioná-las! Imagine o céu que será quando todos formos capazes de perdoar e esquecer as falhas uns dos outros!

      Espero ter ajudado. 😉

      Um abraço!

    • Glauco disse:

      Sou um artista marcial e “combate” pra mim só acaba quando seu adversário não tem mais condições de revidar! Por pensamentos assim “tolerantes” como o seu é que pessoas da estirpe do Marcello Jun existem e aparecem. Para que o mal vença, basta que os bons não façam nada!

      E como disse o grande Paorã : ” …resistamos ao mal; e ao mal que não pudermos resistir com nossas palavras, sim, como revoltas e dissensões, resistamos com nossas espadas, a fim de conservarmos nossa liberdade, a fim de regozijarmo-nos no grande privilégio de nossa igreja e na causa de nosso Redentor e nosso Deus.” (Alma 61:14)

  13. Andreia Clemes disse:

    Bom dia. Faz algum tempo que eu me dei conta que o site Vozes Mórmons não era da igreja. Muitos membros pensam que é.

    Ontem enviei mensagem inbox para eles. Depois de debatermos por um tempo, de eles corrigirem meu português e falarem que escrevo de maneira precária, hahaha, toca meu telefone, no meu local de trabalho, aqui no Rio Grande do Sul. Acredite, era alguém de lá da tal página. Como meu perfil no Face é aberto e trabalho na Assembleia Legislativa, não foi difícil pra eles descobrir meu telefone. Creio que a intenção deles era de intimidar. Ele me disse que estava à disposição e que da próxima vez que eu quisesse me expressar que o fizesse de forma mais inteligente e mais tranquila. Me falou para estudar e pesquisar também.

    Estive afastada da igreja por mais de 15 anos e agora voltei com marido e filhos e inclusive nos selamos recentemente.

    Sou inteligente o suficiente para saber que no passado algumas coisas na igreja eram um pouco diferentes. Sei que era outra época e que os tempos eram difíceis. Não tenho uma fé cega, até porque nosso aprendizado é continuo e aprendemos a cada estudo, a cada aula. O que importa é que minha família está muito bem agora e estamos felizes.

    Quero agradecer por divulgar este artigo. Eu compartilhei e tentei passar para o maior numero de irmãos possível. Sei que existe oposição e se vemos oposição podemos nos posicionar. O problema com o Vozes Mórmons é que muitas pessoas estão sendo influenciadas negativamente lá, achando que é uma pagina da igreja.

    Continue seu trabalho. Eu ajudarei daqui no que for possível.

    • Marcelo Todaro disse:

      Muito obrigado pelo apoio, Andreia. 😉

      Lamento muito pelo atrevimento deles em incomodá-la por telefone sem serem solicitados e pela indelicadeza das críticas contra seu modo de se expressar. Isso mostra bem o caráter e a falta de Espírito de quem faz aquele blog.

      Um abraço!

      • Eu contatei eles por mensagem inbox e expressei minha opinião nada amigável sobre a página. Eles poderiam defender o ponto de vista deles da maneira que quisessem, mas quando se sentiram no direito de me ligar, passaram do ponto.

  14. Marco Aurélio Maximo disse:

    Marcelo, bom dia.

    Li todo o seu artigo e os comentários juntamente com as respostas, percebi que muito há de se fazer para ajudar nossos amigos que caem em armadilhas pequenas e que, por fim, se entrelaçam nas maiores. Como aprendemos no clássico discurso “Crocodilos Espirituais”, Satanás aparece de forma sutil e muitos atrai para si.
    Fui recentemente desobrigado de Bispo e espero ter um pouco mais de tempo para ser mais “ativo” aos artigos aqui escritos.
    É incrível como coisas banais como “acariciar o ombro do cônjuge durante o sacramento ” ou persistir na falsa ideia de sermos machistas, sexistas ou racistas ainda fazem com que pessoas questionem a perfeição de uma igreja cujo restaurador trouxe à luz um livro onde o traduziu integralmente mesmo não tendo sequer capacidade de redigir uma carta sem erros primários (observação feita pela própria esposa). Não crer na liderança e perfeição da doutrina atual é o mesmo que negar os ensinamentos antigos, e isso deve entristecê-lo tanto quanto a mim.
    Estou certo de que muitos ainda virão com mais argumentos e muitos se desviarão (como já vi em minha curta vida). Mas nessas provas de fé acabamos encontrando quem realmente procura estudar para conhecer e se desenvolver ou quem estuda para achar “brechas na lei” ou o tão conhecido “pelo em ovo”.
    Prossigamos firmes na fé.
    Tem meu apoio.
    Abraços

  15. Quando acessei o site vozes mórmons,. logo de cara percebi a intenção deles, claramente ensinam escrituras mescladas com filosofias dos homens. Quando eu escrevo comentário que não os agradam, eles simplesmente não aprovam, devo ter uns 5 comentários pendente lá, por conta disso comecei a escrever artigos no meu blog, SUDBR.org, para poder então debater com eles.

    • Glauco disse:

      Recentemente estava lendo um trecho de um livro chamado “Desperte o Gigante Interior” em que em dado capítulo o autor Tim Robbins fala sobre “convicções”. É muito complexo tudo, mas, em tese, se alguém se convence de algo, seja lá o que for, nada no mundo fará o sujeito pensar o contrário. Resumindo: bater boca com o Marcello Jun e sua turma é perda de tempo, cientificamente falando!

  16. APRENDA A SOBREVIVER À OPOSIÇÃO

    Precisamos aprender a PENSAR, e a capacidade de saber escolher passa pela oposição.

    Como ensinado em 2 NEFI 2:11 Porque é necessário que haja uma oposição em todas as coisas. Se assim não fosse, meu primogênito no deserto, não haveria retidão nem iniquidade, nem santidade nem miséria, nem bem nem mal…

    A oposição pode vir de qualquer lugar, a meu ver os eruditos e intelectuais do PORTAL VOZES MORMONS estão a fazer um bom trabalho para o testemunho mundial de que a igreja é uma instituição aberta a todos, mesmo que diferentes, mesmo com todo o complexo pensar e descobrir de cada filho espiritual colocado neste neste mundo.

    Não podemos pois é pensar pelos outros, pela cabeça dos membros, pela mente do lideres (que muitas vezes também estão na cesta das frutas podres, pois não são perfeitos) pela cabeça da oposição, devemos ter pois luz própria, e não há um jeito fácil de se obter esta luz, a não ser pensando e dilatando a mentes (como Alma nos ensinou) e deixando nosso intelecto dilatar…
    …a meu ver, os membros da igreja mórmon são candidatos a exaltação certo…então, logo nenhum deles poderá ser exaltado sem ter aprendido a pensar por si mesmo, e com isso dilatar seu intelecto e arbitrio descobrindo a verdade também com a OPOSIÇÃO.

    (ps. ninguém é obrigado a concordar comigo, mas foi com esta capacidade que nos foi dado junto a vida mortal).

    • Marcelo Todaro disse:

      Olá, Ricardo.

      Obrigado por seu comentário. Concordo com você apenas em parte. É verdade que o Senhor nos dotou de inteligência e Ele espera que a usemos, mas isso não implica na necessidade de se nos expormos a conteúdo claramente pecaminoso apenas para “dilatar a mente”. Pois nesse processo muitos se soltam da barra de ferro e acabam entrando no grande e espaçoso edifício.

      Como diz o Senhor: “Ai do mundo, por causa dos escândalos; porque é necessário que venham escândalos, mas ai daquele homem por quem o escândalo vem!” (Mateus 18:7)

      Não há necessidade alguma de se investigar escândalos para formarmos opinião. A opinião que deveria nos importar é a do Senhor, não a de quem se opõe a Ele querendo mudar Sua Igreja em vez de a si próprio.

      Um abraço!

  17. Elizangela disse:

    Marcelo, parabéns pela sua perseverança, eu já havia percebido há muito tempo as más intenções de tal site mas vejo muitos membros seguindo e compartilhando suas ideias, uma pena. Espero que você não desista de defender a verdade e continue fazendo isso com toda a sabedoria necessária para lidar com pessoas pouco inteligentes como as que aparecem em tantos comentários.

    • Marcelo Todaro disse:

      Oi, Elisângela.

      Obrigado pelo comentário e pelo incentivo. De fato, do começo ao fim, meu blog é um veículo pelo qual proponho-me a prestar testemunho do que sei ser verdade — e também do que sei não ser. Eis porque publiquei artigo sobre o Vozes Mórmons.

      Um abraço!

  18. John disse:

    Irmão, obrigado por indicar este site, eu gostei muito é um site muito bom e bastante interessante.

    Eu respeito seu texto, não concordo com ele, vi que o site VozesMormons trás diversos artigos interessantes, as pessoas são adultas para entender se algo é para atacar ou para indagar.

    Sobre seu comentário deletado, vc prestou atenção no seu comentário?! Vc não comentou nada sobre o texto, vc se limitou a atacar a pessoa, isto se chama “Argumento ad hominem” que significa “quando alguém procura negar uma proposição com uma crítica ao seu autor e não ao seu conteúdo”.

    O irmão conseguiu entender o erro que cometeu?! Atacar as pessoas é anti-cristão, você teve seu espaço para argumentar contra o conteúdo, provar que a informação estava errada, mostrar alguma referência, mas como não conseguiu provar erro nenhum, vc preferiu atacar a pessoa e isso não é ensinado na igreja irmão, pelo menos não na igreja mórmon.

    • Marcelo Todaro disse:

      John, está havendo um equívoco aqui: não posso ter tido algum comentário meu apagado simplesmente porque jamais comentei nada lá. Não frequento aquele ambiente.

      Por conseguinte, também não posso ter atacado ninguém. Procuro seguir aquele ensinamento de nosso Mestre que diz: “Pois em verdade, em verdade vos digo que aquele que tem o espírito de discórdia não é meu, mas é do diabo, que é o pai da discórdia e leva a cólera ao coração dos homens, para contenderem uns com os outros. Eis que esta não é minha doutrina, levar a cólera ao coração dos homens, uns contra os outros; esta, porém, é minha doutrina: que estas coisas devem cessar.” (3 Néfi 11:29-30)

      Um abraço!

    • Glauco disse:

      Vc não desiste cara!! veio com esse mesmo comentário la no blog O Estandarte, tomou um toco do moderador e repete exatamente o que disse lá?? fala sério, olha só o a resposta que vc tomou!! vou copiar e colar (postagem original aqui):

      John Usp, “atacar a pessoa” não é o significado do “argumentum ad hominem”, ele é uma falácia lógica que ocorre quando alguém tenta invalidar uma proposição desqualificando o emissor da mesma. “Ad hominem” só pode existir dentro de uma discussão e não foi minha intenção, nem é a intenção dos membros da ABEM, discutir sobre qualquer coisa. A intenção deles com o artigo foi simplesmente difamar os líderes da Igreja, a minha desmascará-los e trazer a luz os reais motivos de escreverem o que escrevem. Para ser franco, o fato de você não ter visto nenhuma falácia lógica nos textos do Vozes Mormons mostra que você está usando o termo “ad hominem” como um chavão e não sabe como usá-lo como um critério para julgar um argumento. Não me admira que tenha ficado deslumbrado com site Vozes Mormons; o objetivo deles é iludir pessoas pouco inteligentes e fracas na fé.

      Quanto as afirmações feitas por você de que “atacar pessoas é anti-cristão” e que “isso não é ensinado na igreja”, ambas são o que a lógica argumentativa chamaria de “non sequitur”, conclusões que não seguem as premissas. Para que sua conclusão de que atacar pessoas é anti-cristão fosse verdadeira era preciso que também o fosse a premissa de que o fundador do cristianismo, o Salvador Jesus Cristo, ensinou que não se deve atacar as pessoas e Ele mesmo não deveria ter feito isso. Quando Cristo utilizou os termos “raça de víboras”, “geração adúltera” e quando chamou um de seus seguidores pelo título nada honroso de “satanás”, certamente ele deveria está atacando argumentos e não pessoas, ou, ainda, quando ele chicoteou os mercadores do Templo as chibatadas devem ter atingido os argumentos e não o “couro” dos vendilhões, e quando ele recomendou que seus discípulos comprassem espadas era, de certo, para cortar os argumentos de seus perseguidores e não para se defenderem deles. No Livro de Mórmon, quando Amuleque, e depois Morôni, utilizaram o termo “filho do inferno” para se referirem a seus adversários, com certeza eles estavam refutando argumentos.

      Quanto ao “vc preferiu atacar pessoas e isso não é ensinado na igreja, pelo menos não na igreja mórmon”, talvez não seja ensinado pela igreja mórmon realmente, mas é ensinado pela A Igreja de Jesus Cristos dos Santos dos Últimos Dias:

      “Que não saíssem para batalhar contra nenhuma nação, tribo, língua e povo, a não ser que eu, o Senhor, lhes ordenasse.” D&C 98:33

      “Não contendais com igreja alguma, a menos que seja a igreja do diabo.” D&C 18:20

      E uma escritura do Livro de Mórmon: “E disse o Senhor: defendereis vossas famílias mesmo até o derramamento de sangue.” Alma 43:47

      Três escrituras reveladas ao mundo pela Igreja que falam sobre atacar pessoas, duas delas num sentido mais agressivo do que o que eu fiz.

      João Usp, você veio aqui para falar de lógica argumentativa, conduta cristã e sobre os ensinamentos da Igreja; ficou claro que você não sabe muito sobre qualquer dessas coisas. Agora você pode voltar para o site Vozes Mormons.

      Toma!!!!

      PS: Marcelo meu amigo não perde tempo com esse rapaz, ele é fá de carteirinha do Jun, tenta imitar ele em tudo, especialmente usando termos em latim, a diferença é que o Jun pelo menos em relação a conhecimento secular sabe alguma coisa, enquanto esse rapaz só “copia e cola”.

      • Marcelo Todaro disse:

        Não estou perdendo tempo com ele, inclusive ele nem apareceu mais por aqui. 😉

      • John disse:

        Glauco… não recebo atualizações daqui, nem sabia que alguém tinha me respondido… Bom, vamos lá…

        1) “alguém tenta invalidar uma proposição desqualificando o emissor da mesma.” Rapaz… e “desqualificar” a pessoa não é um ATAQUE?!

        Se eu disser que vc está errado pq é “$%#&@*%” e faz “$%#&@*%”, etc… Não estou tentando te desqualificar ao te atacar / ofender / difamar / pré-julgar?!

        2) “só pode existir dentro de uma discussão”, se eu falar que o autor desse artigo aqui está errado pq é um “$%#&@*%”, SE ele Não me responder, então, não houve discussão, então não houve “Ad hominem” e portanto não houve ataque?

        3) “a intenção deles com o artigo foi simplesmente difamar os líderes da Igreja, a minha desmascará-los e trazer a luz os reais motivos de escreverem o que escrevem” – SEU, SEU pontinho de vista meu amigo… Para um leitor parcial os artigos deles trazem várias referências e o seu apenas a sua interpretação pessoal do que você pensa sobre a pessoa. Será que vc não consegue escrever um artigo “desmascarador” provando por A+B que o que é dito lá é uma invenção falsa? E aí você mostra a verdade?

        4) Glauco, gostei da sua comparação da atitude de Cristo em alguns momentos de “ira”. Mas lembre-se de Mateus 5:43-48, enfim… Eu penso assim… A pessoa em um momento de stress pode perder a cabeça sim… mas isso não lhe dá razão… o único jeito de refutar os argumentos é com outros argumentos ou provas, mas nunca com ataques… Quando Cristo chicoteou os mercadores do Templo, se algum desses mercadores mostrasse um “Alvará”, ele não poderia fazer nada a não ser ir ‘conversar’ com quem deu permissão.

        5) Glauco, as 3 passagens são para diferentes fins… é óbvio que um ato de legítima defesa ou (por exemplo) uma guerra tem sua legitimidade de acordo com as circunstâncias.

        Enfim… li seu artigo, para mim é artigo é raso, superficial e não traz provas a não ser seu ponto de vista pessoal e vários ataques e interpretação própria sobre outra pessoa; em momento algum você “desmascara” as inverdades que afirma serem ditas.

        Irmão, entenda… eu tenho testemunho da igreja sim, mas não sou cego, nem surdo, tem muita coisa errada na igreja, MUITA… e como também não sou mudo, estou dizendo que as pessoas poderiam debater mais os assuntos e referências ao invés de taparem os olhos e ouvidos achando que tudo está bem em Sião…

        • Marcelo Todaro disse:

          John, em primeiro lugar, você está se dirigindo à pessoa errada. O autor do comentário não é o Glauco, e sim o moderador do site O Estandarte, onde você postou um comentário que o moderador respondeu. O Glauco meramente copiou aqui a resposta do moderador a você lá para mostrar que aqui você não veio argumentar nada, veio simplesmente tumultuar. Note que no comentário do Glauco inclusive tem link para a resposta a você no O Estandarte. Essa sua nova resposta deveria ter sido postada lá, não aqui.

          Aliás, o fato de você ter copiado aqui um comentário feito em resposta a outro artigo que não o meu e agora estar respondendo aqui o que deveria ter sido respondido lá e ainda dirigindo-se à pessoa errada mostra o quão fora da casinha você está. Com uma visão confusa dessas, não me admira você ser fã do Vozes Mórmons.

          Mesmo achando que não vai adiantar nada, vou comentar algumas coisas que você disse:

          “alguém tenta invalidar uma proposição desqualificando o emissor da mesma.” Rapaz… e “desqualificar” a pessoa não é um ATAQUE?!

          Depende do que você entende por desqualificar e por ataque. Nenhuma das duas coisas precisa necessariamente ter conotação negativa. Você enxerga como quiser.

          Para um leitor parcial os artigos deles trazem várias referências e o seu apenas a sua interpretação pessoal do que você pensa sobre a pessoa. Será que vc não consegue escrever um artigo “desmascarador” provando por A+B que o que é dito lá é uma invenção falsa? E aí você mostra a verdade?

          O simples fato de os artigos deles trazerem referências não necessariamente os torna críveis, corretos ou verdadeiros. Depende das fontes que usam como referência. Como o viés deles é crítico, irão sempre buscar fontes críticas, o que por si só não garante a verdade de nada. Pelo contrário: desde a fundação da Igreja os críticos distorcem e inventam fatos sobre ela para dar credibilidade às suas críticas. A severa e sangrenta perseguição de que os pioneiros foram vítimas é a maior e melhor prova disso. Hoje não é diferente.

          Isso acontece, aliás, desde que o mundo é mundo. O primeiro a fazer isso foi Caim, que tentou tapear Deus dizendo que não sabia onde estava o irmão que tinha matado (ver Gênesis 4:8-9). Caim seria um ótimo articulista do Vozes Mórmons. 😉

          Como digo no meu artigo, o que o Vozes Mórmons faz é meramente regurgitar esse tipo de material. São coisas já desacreditadas nos EUA e extraídas de fóruns e sites cheios de lixo antimórmon, dos quais o médico é frequentador assíduo por ser um apóstata (e isto não é uma crítica, é um fato: ele é apóstata). E quem quer que aprecie, concorde e defenda argumentos apóstatas é apóstata também, mesmo que frequente a Igreja.

          Enfim… li seu artigo, para mim é artigo é raso, superficial e não traz provas a não ser seu ponto de vista pessoal e vários ataques e interpretação própria sobre outra pessoa; em momento algum você “desmascara” as inverdades que afirma serem ditas.

          Nem você também o faz! Cadê suas provas dos supostos erros dele? Por que sua argumentação também não pode ser vista como rasa e superficial se você também não prova nada?

          Isso me parece aquele velho “faça o que digo, não o que faço”. Todo mundo sabe que nome isso tem.

          Irmão, entenda… eu tenho testemunho da igreja sim, mas não sou cego, nem surdo, tem muita coisa errada na igreja, MUITA… e como também não sou mudo, estou dizendo que as pessoas poderiam debater mais os assuntos e referências ao invés de taparem os olhos e ouvidos achando que tudo está bem em Sião…

          John, eu afirmo que você não tem testemunho. Ou, se tem, anda muito fraco e cambaleante (e isto também não é uma crítica).

          Dizer que tem muita coisa errada na Igreja é algo muito subjetivo. “Errada” sob qual ponto de vista? Se é pelo da apostasia, tem mesmo. Mas se é pelo do Senhor (que é o único ponto de vista que deveria importar a todo mundo), a coisa muda.

          Não estou dizendo que os membros são perfeitos. Se fossem, já teriam sido transladados. Mas é justamente por sermos imperfeitos que precisamos da Igreja. É nela que as doutrinas de redenção de Cristo são ensinadas e Suas ordenanças de salvação são ministradas.

          É como disse o Élder Joseph B. Wirthlin, do Quórum dos Doze, no discurso Preocupação pela Ovelha Perdida, proferido na Conferência Geral de abril de 2008:

          Com exceção do Senhor, todos cometemos erros. A questão não é saber se cairemos ou tropeçaremos, mas, sim, como reagiremos. (…) Sabiam que a Igreja é um lugar em que pessoas imperfeitas se reúnem — mesmo com todas as suas fraquezas mortais — para aprender como se tornarem melhores? Todos os domingos, em todas as capelas do mundo, encontramos homens, mulheres e crianças mortais e imperfeitos, que se reúnem esforçando-se para tornarem-se melhores, para aprender por meio do Espírito e incentivar e apoiar uns aos outros. Nunca vi nenhuma placa na porta de nossas capelas com os dizeres: “Entrada Permitida Somente para Pessoas Perfeitas”.

          O Senhor sabe que cometeremos erros. É por isso que Ele sofreu por nossos pecados. Ele quer que voltemos a nos erguer e nos esforcemos para melhorar.

          Em outro discurso ele também disse:

          A Igreja não é o lugar onde as pessoas perfeitas se reúnem para dizer coisas perfeitas, ter pensamentos ou sentimentos perfeitos. A Igreja é o lugar onde as pessoas imperfeitas se reúnem para proporcionar umas às outras incentivo, apoio e serviço à medida que progredimos em nossa jornada de retorno ao nosso Pai Celestial. (A Virtude da Bondade, Conferência Geral, abril de 2005.)

          É justamente aí que entra a apostasia do Vozes Mórmons: eles se aproveitam das imperfeições dos membros para ficar procurando defeitos neles, nos líderes e na Igreja, como se a Igreja fosse de homens e não de Jesus Cristo (ver D&C 1:30) e querendo mudar a Igreja em vez de mudar a si mesmos, como o Senhor requer de quem O segue (ver Mateus 18:1-4). São tão hipócritas quanto aqueles a quem o Senhor condenou em Mateus 7:3-5:

          “E por que reparas tu no argueiro que está no olho do teu irmão, e não vês a trave que está no teu olho? Ou como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o argueiro do teu olho; e eis uma trave no teu olho? Hipócrita, tira primeiro a trave do teu olho, e então verás claramente para tirar o argueiro do olho do teu irmão.”

          Eles que dêem o exemplo primeiro antes de julgar os outros!

          Se quer saber, eu queria que a Segunda Vinda acontecesse hoje. Isso colocaria ordem nessa zona toda, aí veríamos quem tinha razão. Estou plenamente convicto de que pra mim será um dia agradável e feliz. Espero que seja pra eles também.

          Um abraço!

  19. Shaman disse:

    Qual a dificuldade dos homens mórmons em assumir que a Igreja é sim machista e sexista? Uma vez que as mulheres devem usar saias e vestidos aos domingos, ainda que saias e vestidos não sejam sequer criação divina. Qual a dificuldade em admitir que ainda que Deus tenha afirmado que perante Ele somos todos iguais, a Igreja não estendia o sacerdócio a negros até a década de 1970? Qual a grande dificuldade em assumir que a Igreja dá às mulheres papéis secundários na obra de Deus?

    • Marcelo Todaro disse:

      Você escreveu:

      Qual a dificuldade dos homens mórmons em assumir que a Igreja é sim machista e sexista? Uma vez que as mulheres devem usar saias e vestidos aos domingos, ainda que saias e vestidos não sejam sequer criação divina.

      Por essa lógica, também não podemos usar gravatas, calças, camisas, sapatos, cuecas, etc., pois nada disso é criação divina. Deveríamos todos ir à Igreja nus, certo?

      Ora, me poupe…

      Qual a dificuldade em admitir que ainda que Deus tenha afirmado que perante Ele somos todos iguais, a Igreja não estendia o sacerdócio a negros até a década de 1970?

      Dificuldade nenhuma, não há ninguém negando esse fato.

      O detalhe é que os críticos mal informados (ou mal intencionados) usam isso para acusar a Igreja de discriminação, mas se alguma vez tivessem lido as escrituras teriam visto o Senhor “discriminando” outros povos negando-lhes o sacerdócio: durante quase 2500 anos o Senhor negou o sacerdócio a quem não fosse semita — em todo esse tempo o sacerdócio só podia ser portado por quem fosse descendente de Levi, grupo que representava menos de 1/12 da nação israelita (Números 3:5-10). Mesmo dentre os da tribo de Levi, o Senhor negava o sacerdócio a quem tivesse algum defeito físico — esses não podiam sequer passar do véu do tabernáculo (Levítico 21:16-23).

      Vemos em várias passagens bíblicas que o Senhor “discrimina” outros povos proibindo Seu povo escolhido de contrair matrimônio fora de Israel (Neemias 13:1-3,23-30).

      Jesus também teria cometido “discriminação” ao ordenar aos apóstolos que pregassem o evangelho apenas aos judeus, deixando gentios e samaritanos de fora (Mateus 10:5-6).

      Não é tudo isso “discriminação” também?

      Então, meu irmão, vá estudar e procure se informar sobre as razões do Senhor para adotar certas medidas. Quem sabe você consiga compreender que Ele não dá ponto sem nó e que tudo tem um propósito justo e sábio. Com um pouco de empenho e boa vontade você consegue encontrar as respostas certas nos lugares certos (se você for membro da Igreja, frequentar o Instituto é uma boa ideia). Caso esteja sincera e humildemente interessado em encontrá-las, posso ajudá-lo.

      Qual a grande dificuldade em assumir que a Igreja dá às mulheres papéis secundários na obra de Deus?

      Você alguma vez leu as escrituras? Já percebeu que isso que chama de “papéis secundários” pode ser encontrado ao longo de todos os textos escriturísticos? Já viu em algum lugar o Senhor chamando uma “Abraã”, “Moiséas” ou “Daniela”? Já viu Jesus chamando alguma mulher para ser “apóstola” ou algum dos apóstolos se dirigindo a alguma líder feminina na Igreja primitiva?

      Nunca lhe ocorreu que, pelo ponto de vista de Deus, as mulheres não precisam do sacerdócio para serem tão importantes quanto os homens e que elas podem ter direitos e privilégios que eles não têm?

      Caso esteja sincera e humildemente interessado em jogar um pouco de luz sobre seu óbvio desconhecimento de causa, recomendo a leitura deste artigo do Élder M. Russel Ballard, do Quórum dos Doze. Aproveite e veja também um breve apanhado do que a Igreja já publicou a respeito do papel da mulher no plano de Deus (note que há 5 páginas de links só sobre o assunto).

      Boa leitura e um abraço!

    • Willian disse:

      Típico discurso de feminazi mal amada!!!

  20. Fernando Antonio de Lima disse:

    JESUS disse: Sai pelo mundo, pregais e curai sem cobrar nada por isso. Se somos seguidores dos Mesmo, não é assim que agem. Quanto mais alta é a patente de seus membros, mais arrogantes ficam. Cobra-se o dízimo sem se importar com as condições financeira de seus membros, como visitante de igreja as domingos,não há uma igreja onde as pessoas sejam notadas ou mesmo recebidas como deveriam ser, entra e se sai das mesmas, sem se quer ser percebido. Triste muito triste ver isso, sem mencionar quando na Sacramental os toques dos celulares, os agarra agarra, os gritos e corre corre das crianças as caricias feitas em ombros, costas e cabelos de irmão para irmão, em plena sacramental. tirando a atenção e foco do tema dos palestrantes sem contar com a má impressão que causa as visitantes ou membros que se calam e engolem em silêncio, muitas vezes, repudiando, no seu interior levando consigo tudo isso rustido dentro de si causando um mal num futuro adiante. vejo tudo isso com muita tristeza.

    • Marcelo Todaro disse:

      Fernando,

      Eu ia responder-lhe em particular porque seu comentário nada tem a ver com o assunto do artigo. Nesses casos, costumo não publicar o comentário e responder ao remetente em particular. Mas decidi abrir uma exceção no seu caso porque suas objeções podem ser as de mais alguém e elas precisam de uma resposta pública.

      Em primeiro lugar, a respeito daquilo que lhe parecem falhas no comportamento dos outros, cito-lhe trecho do discurso Preocupação pela Ovelha Perdida, do Élder Joseph B. Wirthlin, do Quórum dos Doze, proferido na Conferência Geral de abril de 2008:

      Com exceção do Senhor, todos cometemos erros. A questão não é saber se cairemos ou tropeçaremos, mas, sim, como reagiremos. (…) Sabiam que a Igreja é um lugar em que pessoas imperfeitas se reúnem — mesmo com todas as suas fraquezas mortais — para aprender como se tornarem melhores? Todos os domingos, em todas as capelas do mundo, encontramos homens, mulheres e crianças mortais e imperfeitos, que se reúnem esforçando-se para tornarem-se melhores, para aprender por meio do Espírito e incentivar e apoiar uns aos outros. Nunca vi nenhuma placa na porta de nossas capelas com os dizeres: “Entrada Permitida Somente para Pessoas Perfeitas”.

      É por causa de nossas imperfeições que precisamos da Igreja do Senhor. É nela que as doutrinas de redenção de Cristo são ensinadas e Suas ordenanças de salvação são ministradas. A Igreja nos incentiva e motiva a ser pessoas melhores e mais felizes. Também é um lugar em que podemos entregar-nos ao serviço ao próximo.

      O Senhor sabe que cometeremos erros. É por isso que Ele sofreu por nossos pecados. Ele quer que voltemos a nos erguer e nos esforcemos para melhorar.

      Um dos passos para isso é não criticar líderes e outros membros, pois eles são pessoas humanas e imperfeitas tanto quanto você e eu. Que não cometamos o pecado da hipocrisia denunciado pelo Salvador em Mateus 7:3-5: “E por que reparas tu no argueiro que está no olho do teu irmão, e não vês a trave que está no teu olho? Ou como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o argueiro do teu olho, estando uma trave no teu? Hipócrita, tira primeiro a trave do teu olho, e então cuidarás em tirar o argueiro do olho do teu irmão.”

      Agora, sobre o dízimo, seu comentário demonstra que você parece não conhecer as escrituras. Então permita-me citar trecho de outro discurso, desta vez O Dízimo: Um Mandamento até para os Mais Pobres, do Élder Lynn G. Robbins, do Primeiro Quórum dos Setenta, proferido na Conferência Geral de abril de 2005:

      O Senhor muitas vezes ao ensinar usa situações extremas para ilustrar um princípio. A história da viúva de Sarepta é um exemplo de como a extrema miséria foi usada para ensinar a doutrina de que a misericórdia não pode roubar o sacrifício, assim como não pode roubar a justiça. Na verdade, a medida mais fiel do sacrifício não é tanto o quanto a pessoa dá, mas o quanto a pessoa se sacrifica para isso. (Ver Marcos 12:43.) A prova da fé é maior quando a despensa está vazia do que quando ela está cheia. Nesses momentos decisivos, a crise não forma o caráter de ninguém: ela o revela. A crise é a prova.

      A viúva de Sarepta viveu no tempo do profeta Elias, por cuja palavra o Senhor mandou que houvesse seca em toda a terra por três anos e meio. (Ver Lucas 4:25.) A fome foi tão intensa que muitos já estavam à morte. Essa era a situação da viúva.

      O Senhor disse a Elias: “Levanta-te, e vai para Sarepta (…); eis que eu ordenei ali a uma mulher viúva que te sustente”. (I Reis 17:9) É interessante que Elias não tenha sido mandado a Sarepta até que a viúva e o filho estivessem à beira da morte. Foi nesse momento extremo, quando ia morrer de fome, que a sua fé foi provada.

      Ao entrar na cidade, ele a viu apanhando lenha.

      “(…) e ele a chamou, e lhe disse: Traze-me, peço-te, num vaso um pouco de água que beba.

      E, indo ela a trazê-la, ele a chamou e lhe disse: Traze-me agora também um bocado de pão na tua mão.

      Porém ela disse: Vive o Senhor teu Deus, que nem um bolo tenho, senão somente um punhado de farinha numa panela, e um pouco de azeite numa botija; e vês aqui apanhei dois cavacos, e vou prepará-lo para mim e para o meu filho, para que o comamos, e morramos. (vers. 10–12)

      Um punhado de farinha é bem pouco mesmo, talvez só o bastante para uma porção, o que torna a resposta de Elias curiosa, escutem só: “E Elias lhe disse: Não temas; vai, faze conforme à tua palavra; porém faze dele primeiro para mim um bolo pequeno, (…)”. (vers. 13, destaque do autor.)

      Será que não parece egoísta pedir não só a primeira porção, mas talvez o que seria a única porção? Se nossos pais nos ensinaram a ceder a vez às outras pessoas e principalmente que os cavalheiros devem ceder a vez às damas, quanto mais às viúvas famintas? A escolha era dela: comer ou sacrificar sua última refeição e apressar a morte? Talvez ela sacrificasse a própria comida, mas sacrificaria a comida destinada ao filho faminto?

      Elias entendia a doutrina de que somos abençoados depois da prova de nossa fé. (Ver Éter 12:6; D&C 132:5.) Ele não foi egoísta. Como servo do Senhor, Elias estava ali para dar, não para tomar. A narrativa continua:

      “(…) porém faze dele primeiro [as primícias] para mim um bolo pequeno, e traze-mo aqui; depois farás para ti e para teu filho.

      Porque assim diz o Senhor Deus de Israel: A farinha da panela não se acabará, e o azeite da botija não faltará até ao dia em que o Senhor dê chuva sobre a terra.

      E ela foi e fez conforme a palavra de Elias; e assim comeu ela, e ele, e a sua casa muitos dias.

      Da panela a farinha não se acabou, e da botija o azeite não faltou; conforme a palavra do Senhor, que ele falara pelo ministério de Elias”. (vers. 13–16, destaque do autor)

      Uma das razões por que o Senhor ilustra as doutrinas com as situações mais extremas é para eliminar as desculpas. Se o Senhor espera que até a mais pobre das viúvas dê do pouco que tem, como ficam todos os outros que não acham conveniente nem fácil fazer sacrifícios?

      Nenhum bispo, nenhum missionário, deveria jamais hesitar ou não ter a fé necessária para ensinar a lei do dízimo aos pobres. A idéia de que “eles não têm o suficiente para dar” deve ser substituída por “eles têm tão pouco que não podem deixar de dar”.

      Uma das primeiras coisas que os bispos têm de fazer para ajudar os necessitados é pedir-lhes que paguem o dízimo. Como a viúva, se uma família que passa por necessidades tiver que decidir entre pagar o dízimo ou comer, ela deve pagar o dízimo. O bispo pode ajudar com os alimentos e outros artigos essenciais até que ela se torne auto-suficiente.

      Então, como demonstrado, é assim que as coisas do Senhor funcionam: fé e sacrifício primeiro, recompensa depois. É uma ordem dada nos céus que nunca foi nem nunca será mudada e que vale para todos, indistintamente.

      Espero ter ajudado.

      Um abraço!

  21. Jailson Melo disse:

    Marcelo,

    Parabéns pela iniciativa em desmascarar essas pessoas. Todas as vezes que envio mensagens contra o conteúdo publicado no site e Facebook, sou bloqueado por eles!

    Continuaremos a falar com os irmãos, para que nunca entrem nesse maldito site.

    Admiro este seu trabalho.

    Abraço.

  22. Glauco disse:

    Adorei seu artigo e já bati boca algumas vezes com o tal Dr, constatei que o referido camarada tem uma reclamação na internet por ter sido grosseiro com uma paciente, ou seja uma pessoa notadamente de mal com a vida. Ele e seu bando me lembram o anticristo Serem do qual Jacó no LDM afirma que ele tinha perfeito conhecimento da língua do povo, o bando costuma usar de sua eloquência verbal para mascarar sua falta de conhecimento doutrinário, usando apenas material requentado. Já visitei o blog algumas vezes e posso afirmar que ele atrai todo tipo de gente fraca e ignorante nos comentários, pessoas que se tornaram uma “lei para si mesmos” que seguem os ditames de sua vontade. Acredito, irmão Marcelo, que no dia que tiver a mínima dúvida da continuidade das revelações e de que o Senhor pessoalmente preside sua Igreja, mesma ela sendo repleta de pessoas imperfeitas como nós, ai é hora de por a viola no saco e ir embora! Mas sou grato ao Pai Celeste por cada dia mais apesar de minhas fraquezas ter experiÊncias espirituais tão marcantes, ter uma família eterna e ver minha filha exercitando sua jovem e pura fé de uma maneira tão poderosa, o evangelho é a maior riqueza que temos, é bom no meio de tanta mentira existir pessoas como vc que realmente é uma VOZ MÓRMON DE VERDADE, abs que o Senhor o abençoe!

    • Marcelo Todaro disse:

      Obrigado, Glauco. Em dobro a você. 😉

      • Marcia Aparecida Granado disse:

        Marcelo, tudo bem com você? É verdade, toda mensagem que mando eles bloqueiam, ou seja, eles querem que coloque só se concordar com eles. Obrigado por existir voz mórmon de verdade como a sua, como disse o Glauco.

        Sei que a igreja de Jesus Cristo foi restaurada na Terra. Ainda que seja difamada pela hostes de Satanás, ainda que muitos gentios a rejeitem, sei que ela estará na Terra no retorno de Jesus Cristo. A luta do mal contra o bem continua na Terra. Sei que não somos perfeitos como membros, mas temos muitas coisas boas em nós. A igreja é perfeita e por isso precisamos dela para melhorar nossa imperfeição.

        Parabéns por doar um pouco do seu tempo para ajudar o Senhor, o mal só está vencendo porque algumas pessoas boas estão de braços cruzados. Um grande abraço.

 

REGRAS PARA COMENTAR NOS ARTIGOS:

  1. Não use agressividade, provocações, insultos, ironias, deboches, maledicências, palavrões e coisas desse tipo, ou seu comentário será sumariamente apagado. Aceito críticas, sim, o que não aceito é falta de educação e de respeito.
  2. Não use e-mail falso ou seu comentário poderá ser apagado.

Deixe seu comentário - mas observe as regras acima!