Santana do Livramento, dezembro de 1986

xxx

A criança em meu colo é Davi, de quem falo no texto

A história que passo a relatar aconteceu com uma família que conheci numa divisão que fiz com um dos missionários de meu distrito em Pelotas antes de minha transferência para Santana do Livramento. A história é realmente impressionante e, de tão impressionante, pode-se até duvidar de sua veracidade. De qualquer modo, acho que é meu dever relatá-la para que se saiba da verdade no futuro.

Aquele missionário tinha em sua área uma família composta por um casal com vários filhos. Conta a mãe que o nascimento do caçula foi cercado de vários perigos de natureza espiritual. Segundo ela, forças malignas queriam a todo custo impedir seu nascimento. Por revelação, ela soube que o garoto deveria ser chamado de Davi e que o propósito de sua vinda a este mundo representaria algo terrível para Satanás, tanto que ele, por diversas vezes, tentou fazer com que o feto morresse. Conta ela que viu Satanás furioso quando Davi nasceu.

Davi é uma criança adorável, dono de um sorriso meigo e absolutamente cativante. Fez-me perguntas sobre minha terra natal e me mostrou sua criação de coelhos, sua plantação de uvas e seu cata-vento.

Davi me contou que, há pouco tempo, sua família estava reunida para orar (provavelmente à hora da refeição). Sua mãe dissera: “Pediremos ao Senhor que esteja conosco neste momento”. Durante a oração, contou Davi, um clarão à sua frente chamou sua atenção, por isso abriu os olhos e viu duas pessoas. Uma delas em pé, outra mais acima, “sentada numa cadeira”. O que estava em pé teria aberto os braços e dito: “Eis-me aqui convosco”. Davi teria sido o único a ter tido essa visão.

A mãe contou que, um ano antes, seu marido viu um senhor bem velhinho, com longas barbas brancas, andando na estrada, e sentiu que deveria convidá-lo a entrar em casa. Serviram-lhe uma refeição e o homem teria comido bem mais do que um ser humano normal seria capaz de suportar. Ele, porém, recusava-se a dirigir o olhar na direção dela. Falou algumas palavras muito especiais ao marido e, ao se despedir, fitou-a profundamente. Afirma que somente então compreendeu a profundidade das palavras ditas ao marido. Apesar de aparentar ser bem velho, o homem tinha a cútis de um menino e seus olhos eram de um azul mais forte que o do céu. Mesmo sem ter-lhe dirigido a palavra, ela conta que teve vontade de chorar de emoção mesmo sem saber por quê. A passagem daquele homem, que afirmava ser do nordeste, trouxera uma inexplicável alegria e paz àquele lar. Depois, conta que se ajoelhou e pediu que o Senhor lhe dissesse quem era aquele homem misterioso que em momento algum quis se identificar. Em resposta, o Espírito disse-lhe que lesse 3 Néfi 28. Esse capítulo fala dos três nefitas.

Ela conta ainda que sua bênção patriarcal diz que foi abençoada com a capacidade de lembrar-se de algumas cenas da pré-existência. Ela confirma que se lembra mesmo.

Aquele casal se prepara para o batismo na Igreja. Pode parecer estranho que uma mulher que tenha uma bênção patriarcal não seja membro. Ocorre que ela já o foi em tempos passados, mas teria sido excomungada e estaria agora trilhando o caminho de volta. Acontece que seu marido na verdade não é ainda oficialmente seu marido, pois não são casados (razão, talvez, da excomunhão dela). Ele não tem dinheiro para pagar a ação de divórcio de sua ex-mulher e, enquanto isso não acontecer e não puder se casar com a atual companheira, nenhum dos dois poderá ser batizado.

Mesmo assim, não sei descrever os sentimentos que vivi em companhia daquela família especial. Não me recordo de ter sentido algo parecido antes.

(Comentário posterior) Embora a história dessa família seja realmente impressionante, sinto haver algo errado nela. Quando testifica da verdade, o Espírito não deixa dúvidas — e este não é o caso.

E por falar em sentimentos, que dizer do sentimento que me fez tirar uma de nossas pesquisadoras de dentro de uma outra igreja para levá-la a assistir as reuniões de nossa ala? Tínhamos dela um compromisso de levá-la para visitar a Igreja num domingo. Ao chegarmos à sua casa, sua mãe disse que tinha ido a outra igreja. “Ah, mas ela vai cumprir o que prometeu!”, pensei. Não tive dúvidas: fomos buscá-la onde estava. Pelo menos assistiu metade da escola dominical e toda a sacramental. Não pensei que eu fosse ter “peito” para fazer algo assim.

As missionárias de meu novo distrito em Santana do Livramento

As missionárias de meu novo distrito em Santana do Livramento

Minha transferência chegou no dia seguinte. Deixei Pelotas para trás e também o trauma de passar quatro meses sem batismos. Minha nova área está sendo um alívio para minhas dores espirituais, pois até o momento os membros estão empenhados na obra missionária e recebemos deles muitas referências. Eles mesmos vão buscar seus visitantes. Já deu para sentir uma nítida diferença na espiritualidade e reverência das reuniões dominicais. Faz parte de minha nova área a casa do presidente da estaca. Já estava na hora de ser presenteado com uma área assim.

Santana do Livramento está me oferecendo agora outro tipo de desafio: o de treinar membros para a obra missionária e consertar alguns problemas em meu novo companheiro. Tenho certeza de que ainda terei muito o que escrever sobre esta nova área. No mais, exceto pelo “refrescante” calor que tem feito (mais de 40ºC), meus dias têm sido agradáveis e inspirados.

Já fiz algumas divisões com meus líderes de zona. Numa delas, voltei a Alegrete e gostei muito de rever minha terceira área e alguns de meus batismos que ficaram firmes na Igreja. Isso me foi muito gratificante.

Celebração natalina com a família do presidente da estaca

Celebração natalina com a família do presidente da estaca

No fim do mês, participamos de uma celebração natalina na casa do presidente da estaca. Aquele é o exemplo de um verdadeiro lar santo dos últimos dias! Os hinos, as orações, o espírito de Natal, tudo ali me trouxe inéditos sentimentos de paz, alegria e fraternidade, diametralmente opostos aos do Natal anterior, no qual me consumi em tristeza por minha família, e diferentes dos sentimentos já bem conhecidos dos dezenove Natais anteriores com ela. Este é o verdadeiro espírito de Natal, aquele era o espírito de festa. Que Deus me abençoe para conseguir transformar o anterior no atual quando retornar ao lar.

No último domingo do mês escrevi ao presidente dizendo que estou bastante satisfeito com meus resultados. Os batismos estão prestes a acontecer e a maioria das metas foi atingida, se não ultrapassada. Cada vez mais estou conhecendo o que é agir pelo Espírito na maioria das coisas. Tenho também um companheiro poderoso e que me ajuda muito.

Encerrando o mês, participei em Porto Alegre de uma conferência para líderes de distrito na qual o discurso do presidente produziu algumas frases inspiradas que faço questão de transcrever:

“Os élderes são sempre 99% maravilhosos. Os líderes de distrito são sempre 100% maravilhosos.”

“Se você não criticar nenhum missionário na missão, seu trabalho irá de zero a dez. Ponha à prova.”

“O trabalho derrete qualquer problema.”

(Visited 1.087 times, 1 visits today)

Artigos relacionados:

  • Nenhum artigo relacionado
Esta entrada foi publicada em Missão de tempo integral. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

15 respostas para Santana do Livramento, dezembro de 1986

  1. joana disse:

    Olá! Sou um membro de Portugal. Mas o senhor mesmo afirmou que sentiu algo de errado com esse relato,certo? Como assim? Será que pode ser “muita invenção?” Obrigada, cumprimentos

    • Marcelo Todaro disse:

      Olá, Joana.

      Não sei dizer ao certo. Pode ser que algum elemento da história conforme a ouvi não seja preciso, não tenho como saber. O que sei é que na época senti que não deveria dar demasiada importância a ela, pelo menos não mais do que o necessário para registrá-la em meu diário e seguir em frente. Nunca mais tive notícias daquela família para saber o que houve depois.

      Um abraço!

  2. Pingback: Os Três Nefitas e o Diário Missionário | OsMórmons.com

  3. juliano disse:

    Gostei desses relatos, um site publicou partes dessa história linda. OSMORMONS.COM

    • Luiz Polito disse:

      Fui eu que escrevi um artigo sobre isso:

      OS TRÊS NEFITAS E O DIÁRIO MISSIONÁRIO
      No finalzinho do ano de 2004, pesquisando no Google a respeito dos Três Nefitas, encontrei o seguinte site: http://marcelotodaro.info/santana-do-livramento-dezembro-de-1986/ onde Marcelo Todaro conta uma das experiências da sua Missão.
      Neste link em especial, Todaro conta a história de uma família de Pelotas-RS e diz que “A história é realmente impressionante e, de tão impressionante, pode-se até duvidar de sua veracidade. De qualquer modo, acho que é meu dever relatá-la para que se saiba da verdade no futuro”. O então Elder Todaro relata que a mãe do caçula da família, que se chama Davi, teve muitos problemas na gravidez, e que, por revelação, soube que deveria dar o nome de Davi ao esse seu filho. Davi sempre foi um menino muito especial.
      Continua Todaro: “A mãe contou que, um ano antes, seu marido viu um senhor bem velhinho, com longas barbas brancas, andando na estrada, e sentiu que deveria convidá-lo a entrar em (sua)casa. Serviram-lhe uma refeição e o homem teria comido bem mais do que um ser humano normal seria capaz de suportar. Ele, porém, recusava-se a dirigir o olhar na direção dela (da mulher). Falou algumas palavras muito especiais ao marido e, ao se despedir, fitou-a profundamente. Afirma que somente então (a mulher) compreendeu a profundidade das palavras ditas ao marido.
      Apesar de aparentar ser bem velho, o homem tinha a cútis de um menino e seus olhos eram de um azul mais forte que o do céu. Mesmo sem ter-lhe dirigido a palavra, ela conta que teve vontade de chorar de emoção mesmo sem saber porquê. A passagem daquele homem, que afirmava ser do nordeste, trouxera uma inexplicável alegria e paz àquele lar. Depois, a mulher conta que se ajoelhou e pediu que o Senhor lhe dissesse quem era aquele homem misterioso que em momento algum quis se identificar. Em resposta, o Espírito disse-lhe que lesse o capítulo 28 de 3 Néfi. Esse capítulo fala dos três nefitas.”
      Quem quiser saber mais detalhes desta história narrada pelo Marcelo Todaro, poderá acessar o link que postei acima.
      Alguns poderão perguntar: Quem são esses Três Nefitas?
      Antes de falar dos Três Nefitas, vou falar de João, o Evangelista, ou o Apóstolo amado de Jesus Cristo. Em João, no Novo Testamento, capítulo 21, lemos: ”Chegou, pois, Jesus, e tomou o pão, e deu-lhes e, semelhantemente o peixe. E já era a terceira vez que Jesus se manifestava aos seus discípulos, depois de ter ressuscitado dentre os mortos.(João 21:13-14).
      Após Jesus dar instruções para que Pedro apascentasse o rebanho dos fiéis, aconteceu que, “Pedro, voltando-se, viu que O seguia aquele discípulo a quem Jesus amava, e que na ceia se recostara também sobre o seu peito, e que dissera: Senhor, quem é que te há de trair?
      “Vendo Pedro a este, (o João) disse a Jesus: Senhor, e deste que será?
      “Disse-lhe Jesus: Se eu quero que ele (João) fique até que eu venha, que te importa a ti? Segue-me tu.
      “Divulgou-se, pois, entre os irmãos este dito, que aquele discípulo não havia de morrer. Jesus, porém, não lhe disse que não morreria, mas: Se eu quero que ele fique até que eu venha, que te importa a ti?” “Este é o discípulo que testifica destas coisas e as escreveu; e sabemos que o seu testemunho é verdadeiro.(João 21:20-24)

      Nas revelações modernas, nas quais os Santos dos Últimos Dias acreditam, existe uma seção de Doutrina & Convênios que aborda o tema da morte (ou permanência de João em vida até à Segunda Vinda de Jesus Cristo). Eis o que diz a revelação moderna:
      “E O Senhor disse-me: João, meu amado, o que desejas? Pois se pedires o que desejas, ser-te-á concedido.
      “E eu disse-lhe: Senhor, dá-me poder sobre a morte, para que eu viva e traga almas a ti.
      “E o Senhor disse-me: Em verdade, em verdade te digo: Visto que o desejaste, permanecerás até que eu venha em minha glória e profetizarás perante nações, tribos, línguas e povos.
      “E por esse motivo o Senhor disse a Pedro: Se eu quero que ele fique até que eu venha, que te importa a ti? Pois ele pediu-me que pudesse trazer almas a mim, mas tu me pediste para ir rapidamente ter comigo em meu reino.
      “Digo-te, Pedro, que esse foi um bom desejo; mas o meu amado desejou fazer mais, ou seja, uma obra ainda maior entre os homens do que aquilo que fez antes.
      “Sim, ele se propôs a uma obra maior; portanto torná-lo-ei como fogo flamejante e um anjo ministrador; ele ministrará em favor daqueles que serão os herdeiros da salvação e habitam a Terra.” (D&C 7:1-6)
      O mundo cristão (com exceção dos Santos dos Últimos Dias), têm dúvidas a respeito desse assunto. Embora acreditem que João possa ter morrido na Ilha de Patmos, não descartam totalmente a possibilidade de João não ter morrido. Vejam no site da “Bíblia OnLine”: https://www.abiblia.org/ver.php?id=2553

      Logicamente, isso é uma questão de fé. Ninguém é forçado a acreditar que João (o amado) não morreu, mas os que assim acreditam, poderão um dia ter a bênção de receber uma visita dele.
      Agora, vamos falar a respeito dos Três Nefitas. O relato a respeito deles é encontrado no Livro de Mórmon, no capítulo 28 de 3 Nefi:
      “E aconteceu que depois de haver proferido estas palavras, Jesus falou a seus discípulos, um a um, dizendo-lhes: O que desejais de mim depois que eu for para o Pai?
      “ E com exceção de três, todos os outros responderam, dizendo: Desejamos que depois de havermos vivido até a idade do homem, que o ministério para o qual nos chamaste tenha um fim, para que possamos ir logo para junto de ti em teu reino.
      “E disse-lhes ele: Bem-aventurados sois por haverdes desejado isto de mim; portanto, quando atingirdes a idade de setenta e dois anos, vireis a mim em meu reino; e comigo achareis descanso.
      “E depois de lhes haver falado, voltou-se para os três e disse-lhes: Que desejais que eu vos conceda depois que for para o Pai?
      “E o coração deles entristeceu-se, porque não se atreviam a dizer o que desejavam.
      “E disse-lhes ele: Eis que conheço vossos pensamentos e desejastes aquilo que João, meu amado, que me acompanhou em meu ministério antes que eu fosse levantado pelos judeus, desejou de mim.
      “Portanto mais bem-aventurados sois, porque nunca provareis a morte; mas vivereis para ver todas as obras do Pai entre os filhos dos homens, até que todas as coisas sejam cumpridas de acordo com a vontade do Pai, quando virei em minha glória com os poderes do céu.
      “E vós nunca padecereis as penas da morte; mas quando eu vier em minha glória, sereis transformados num abrir e fechar de olhos, da mortalidade para a imortalidade; e então sereis abençoados no reino de meu Pai.
      “E também não padecereis dores enquanto permanecerdes na carne; nem tristezas, a não ser pelos pecados do mundo; e tudo isso farei em virtude do que me haveis pedido, porque desejastes conduzir a mim a alma dos homens, enquanto o mundo existir.
      “E por essa razão tereis alegria completa e sentar-vos-eis no reino de meu Pai; sim, vossa alegria será completa, assim como completa foi a alegria que me deu o Pai; e sereis como eu sou e eu sou como o Pai; e o Pai e eu somos um.
      “E o Espírito Santo dá testemunho do Pai e de mim; e o Pai dá o Espírito Santo aos filhos dos homens, por minha causa.” (Livro de Mórmon, 3 Nefi 28:1-11)
      No relato acima, que ocorreu durante a visita de Jesus Cristo ao continente americano, os Três Nefitas desejaram e receberam poder sobre a morte, para permanecerem na Terra até que Jesus retorne.
      Eles são transladados, vêem coisas que não é permitido declarar e estão agora ministrando entre os homens.

      ( Luiz Higino Polito) – Artigo publicado primeiramente no extinto site Os Mormons . com.

  4. Ana Maria disse:

    Como quase todas as pessoas nesta vida, passamos por experiências que marcam tanto nossas vidas como a vida de outras pessoas…
    Muito interessante a estória do pequeno Davi, e sobre a aparição de um dos três nefitas…
    Sei que eles estão por ai, e meu mais profundo desejo é de um dia ter o privilégio de conhecê-los, ainda nesta vida!!
    Sei que muitos outros desejos justos poderão ser realizados, de acordo com nossa dignidade.

  5. Alexandre disse:

    Hoje estava estudando o livro de Mormon 3 nefi 28 ao vir pro trabalho e fiquei muito interessado na historia dos 3 nefitas e resulvi pesquisar e acabei encontrando seu site e achei muito interessante sua experiencia na missão, parabens pelo blog adimiro atitudes como a sua um grande abraço

  6. Mariana Martinelly disse:

    Caro irmão Marcelo, eu não duvido mas de tipo algum desta história incrivel de Davi, e sabe porque? Já ouvi outras parecidas, bom saber que o própio filho será um ungido, bom isto eu também soube antesde ser membro da igreja, se assim não fosse talves nunca teria aceitoa visita dos elderes em casa não naquela casa, e naquela época, mas aconteceu como já lhe disse antes, e hoje é confirmada com a dedcação sem precedentes de meu filho as coisas do evangelho, quanto ao homem estranho andar por ai , bom meu tataravô contava quena época que era tropeiro existia aqui no sul oum homem que todos diziam ser santo e que atravesava o rio cheio sem barco, sim que ele e a tropa as vezes via o homem do lado de cá do rio iguaçu e de repente viam o mesmo do lado de lá, como ele ia ninguém sabe, mas que elecurava as doenças só com o toque das mãos e que nunca parava em canto algum, imagine uma pessoa idosa de tunica alva andar pelos sertões e não ser ferido por nada? e isto por decadas! o nome dele era João Maria o profeta, conta a lenda que ele sumiou e nunca mais foi visto mas deixou um aviso no vilarejo que passava sempre, ele disse no dia que o povo aprender a orar Deus vai aprender a ouvir! Talves este também seja um dos tres nefitas vai saber! De minha parte eu sei apenas que nada é impossivel!

  7. Marília disse:

    Marcelo, você tem alguma notícia do Davi hoje em dia?

Deixe seu comentário - mas observe as regras acima!