Ganhar (muito!) dinheiro com pornografia? Não, obrigado

Publicado em 7 de fevereiro de 2010 e atualizado em 16 de fevereiro de 2024

Uma de minhas atividades profissionais é construir, hospedar e dar manutenção em websites. A esse respeito, recebi um chamado de uma mulher de nome estrangeiro que se dirigia a mim como “Mr. Todaro”, embora falasse português. Ela dizia:

Olá Mr. Todaro,

Quanto você cobra para fazer um site com 5 páginas?

Respondi dando meus valores. Ela retornou:

Pois te pago 3.500 dólares pelo site e mais 275 dólares por mês ajustáveis a cada 6 meses! Procuro um webmaster que aceite fazer sites pornô. Sou secretária de uma atriz pornô e ela precisa de um site.

O site deve conter:

– Sobre a atriz
– Portifólio
– Algumas fotos e videos da atuação
– Página para contato
– Página inicial com informações básicas

O site seria em inglês, visto que a atriz é canadense. Estamos a procura de um webmaster na América Latina.

Se possivel, madar a resposta em inglês, pois minha chefe irá ler amanhã e eu estarei de folga por 1 mês e 3 dias.

Aguardo sua reposta.

Três mil e quinhentos dólares para criar um site? Nunca pensei em ganhar tanto dinheiro fazendo um site de cinco páginas, por mais complexo que fosse.

A surpreendente generosidade da oferta combina com a soberba abastança do meio pornográfico. A pornografia é uma indústria poderosa. Nos EUA, a receita auferida com pornografia é maior do que todas as receitas combinadas de profissionais do futebol, beisebol, basquete e franquias. Há dezenas de milhões de sites pornográficos de acesso pago prosperando na Internet. Atrizes pornô podem ganhar vários milhões de dólares por ano. Algumas se tornam tão ricas que se aposentam ainda jovens.

O problema está nas implicações morais e espirituais dessa atividade. Homens e mulheres engajados na prática do sexo explícito para alimentar essa indústria cometem um dos mais graves pecados previstos nas leis de Deus, perdendo em gravidade apenas para o assassinato. Como todo pecado, sua inspiração vem de uma única fonte: Satanás.

A motivação do “bode velho” ao induzir o homem a cometer todo tipo de pecado foi explicada pelo profeta Leí, quando ensinou que Satanás procura tornar todos os homens tão miseráveis quanto ele próprio (ver 2 Néfi 2:27). Ele tem ciúmes de nós pelo fato de possuirmos um corpo físico e ele não — e nisso consiste parte de sua condenação. Então, já que não tem corpo, tenta conseguir que façamos mau uso do nosso. Como ensinou a irmã Susan W. Tanner, Presidente Geral das Moças de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, falando sobre o caráter sagrado de nosso corpo:

Com a plenitude do evangelho na Terra, temos novamente o privilégio de conhecer essas verdades sobre o corpo. Joseph Smith ensinou: “Viemos a este mundo com o objetivo de obter um corpo e de apresentá-lo puro, diante de Deus, no Reino Celestial. O grande plano de felicidade consiste em ter um corpo. O diabo não tem corpo, e nisso consiste seu castigo” (The Words of Joseph Smith, ed. Andrew F. Ehat e Lyndon W. Cook [1980], p. 60).

Satanás aprendeu essas mesmas verdades eternas a respeito do corpo, mas seu castigo é não ter um. Por isso, tenta fazer de tudo para conseguir que maltratemos essa preciosa dádiva ou façamos mau uso dela. Ele encheu o mundo de mentiras e falsidades sobre o corpo. Ele tenta muitas pessoas a profanarem essa grande dádiva por meio da falta de castidade e de recato, das libertinagens e vícios. Ele seduz alguns a desprezarem o próprio corpo; outros, ele tenta para que o adorem. Em ambos os casos, ele induz o mundo a considerá-lo como um mero objeto. Diante de tantas falsidades satânicas a respeito do corpo, quero erguer hoje a voz em defesa da santidade dele. Testifico que o corpo é uma dádiva que deve ser tratada com gratidão e respeito.

Por mais que eu precise de dinheiro, meu senso de compromisso com Deus não me permitiria aceitar uma oferta cuja origem é uma atividade tão flagrantemente inspirada por aquele que nos odeia a ponto de querer para nós a mesma condenação que trouxe sobre si. O dinheiro que eu ganharia com isso e tudo que esse dinheiro me permitiria comprar seria uma maldição travestida de bênção.

Então respondi (em inglês, conforme solicitado):

Obrigado. Sua oferta parece ser realmente muito boa. No entanto, não posso aceitá-la por estar relacionada a uma atividade que vai contra meus princípios.

Espero poder servi-la com o melhor de mim noutra oportunidade.

Achei que o assunto morreria aí. Eu não esperava resposta alguma ou, quando muito, um “obrigado pela atenção”. Achei que a menção a “princípios” que me impediam de aceitar o trabalho deixaria claro o porquê de minha recusa. Mas, poucas horas depois, veio uma mensagem, desta vez da própria atriz, em inglês, dizendo:

Por que não pode aceitar a oferta, homem? Quais são seus princípios? Tudo bem, pago US$ 5500 pelo site e US$ 590 pelas atualizações.

Quando li isso, comecei a rir sozinho. “Caramba, esse pessoal é louco!”, pensei enquanto ria.

Obrigado por sua nova oferta.

Sou um membro fiel de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (também conhecida pelo apelido de “igreja mórmon”). Ela ensina que a pornografia é qualquer material que faz alusão ou descreve o corpo humano ou conduta sexual de modo a provocar sentimentos sexuais. É prejudicial ao espírito tal como tabaco, álcool e drogas são ao corpo. O uso de material pornográfico de qualquer tipo viola um mandamento de Deus: “Não (…) cometerás adultério (…) nem farás coisa alguma semelhante” (D&C 59:6).

Por isso, evito a pornografia em qualquer de suas formas e me oponho à sua produção, distribuição e uso. Eis porque, não importa quanto dinheiro me ofereça, não posso aceitá-lo. Lamento. Como eu disse antes, espero poder servi-la com meu melhor em outro tipo de website.

Mas ela simplesmente ignorou o que eu disse e fez mais uma oferta. Veja que loucura:

OK, ofereço US$ 10 mil pelo site + US$ 2 mil pelas atualizações. Esse tipo de serviço custaria muito mais aqui no Canadá. Ofereço também algo que ninguém poderia oferecer-lhe: conheço muita gente famosa. Nem todos são da indústria pornográfica. Posso apresentar você a eles, então você teria muitos outros clientes. Que me diz?

Então é por isso que quer webmaster sulamericano: pagar menos. É o mesmo caso da indústria americana de eletrônicos de consumo, que terceiriza sua produção usando empresas chinesas, cuja mão de obra é bem mais barata. Não vejo muito problema nisso, chama-se economia de mercado. Eu não me importaria em ganhar menos do que ganharia um webmaster canadense para produzir esse material, afinal esse dinheiro todo até parece salário de marajá do funcionalismo público. Mas esse canto da seria não me seduz. Minha consciência e meus convênios com o Senhor no batismo e no templo não estão à venda.

Aprecio o que está tentando fazer por mim e a fantástica quantidade de dinheiro que me oferece. Mas, por favor, tente entender que meus princípios e minha fé não têm preço. São muito mais que uma mera crença: são o que me definem. Não posso aceitar sua oferta nem mesmo por milhões de dólares.

Lamento. Por favor, não insista. Obrigado.

Nem isso a fez me levar a sério. Ela simplesmente triplicou a oferta em dinheiro.

Mas quando viu que com dinheiro não me convenceria, começou a oferecer a si mesma também. Aí me senti afrontado e simplesmente parei de lhe responder. Mesmo assim, continuou insistindo.

O que tenho curiosidade em saber é por que insistir comigo quando há uma infinidade de opções à disposição ao redor do mundo. Tenho certeza que não seria difícil encontrar quem aceitasse até a mais modesta das propostas que me fez. Tentar me convencer a mudar de ideia se tornou questão de honra para ela, por isso rebaixou-se até o ponto de usar a si própria como mercadoria dizendo coisas como “muitos homens desejariam estar no seu lugar”. Ela não deve estar habituada a ser rejeitada por um homem. Deve também ser do tipo de pessoa que pensa que todo homem tem seu preço. Bem, então terá que aprender que não é bem assim.

Ela tem razão. Muitos homens realmente desejariam estar no meu lugar, mas por outro motivo.

Ela acabou confessando que estava mesmo sentindo sua honra desafiada, daí a insistência. E o fato de se sentir ignorada por mim deve ter agido como gasolina jogada sobre o descontrolado incêndio de sua vaidade. Veja só (e pasme com) o que disse:

Todo homem tem um preço. Qual é o seu? Como bônus, dou-lhe 30 noites de sexo comigo e tudo mais que eu disse acima. Posso dar-lhe tudo que quiser. Ganho mais de 15 milhões de dólares por mês. Não há nada que eu não possa lhe dar. Vamos lá, diga-me seu preço! Não importa se me pedir 3 ou 5 milhões de dólares. Agora virou questão de honra para mim. Se disser sim, vai ficar rico e ter tudo que quer: carros, casas, viagens, TVs, mulheres jovens e qualquer coisa que queira. Se disser não, nunca mais escrevo a você novamente. Então você tem que escolher: continuar pobre com sua religião ou ter a vida com que sempre sonhou. Pense no seu filho. Você pode dar-lhe um ótimo futuro: todos os brinquedos que ele quiser, estudo em qualquer país do mundo, estudo em uma boa faculdade e posso também conseguir para ele o emprego que quiser (não importa qual). Vou me matar se você não aceitar e você será responsável por isso. Minha secretária é testemunha. Então, por favor, responda-me agora. Responda-me pelo menos mais uma vez (de preferência dizendo sim), não é algo difícil de fazer.

Tive que dar uma boa risada quando falou em suicídio. Não levei nada disso a sério e duvido que ela cumpririra sequer uma fração de tudo que prometeu caso eu aceitasse. Acho mesmo que se trata apenas de orgulho ferido por minha firmeza de caráter.

Durante a noite, enquanto eu dormia e continuava sem lhe responder, ela enviou uma série de outras mensagens, inclusive com ameaças de me difamar na imprensa se eu não aceitasse suas ofertas. Mandou-me uma foto sua (bem vestida) para que eu visse como é linda, na esperança de que eu mudasse de ideia. Como nem assim recebeu resposta, chegou até a enviar um e-mail cheio de xingamentos e palavrões, certamente tentando provocar em mim uma reação. Sua secretária escreveu também dizendo ter recebido dela um telefonema aos prantos dizendo que fui “rude, infantil e burro” e que estava tendo o pior dia de sua vida por causa de uma pessoa “antiprofissional como você”.

Eu mereço…

Até onde isso tudo é sério ou é piada, não sei. Só sei que, após alguma ponderação em espírito de oração, senti-me confortável com a ideia de usar de um pouco de compaixão para lhe dar uma última resposta em consideração à pessoa que é como minha irmã.

Entendo que você deve ser daquele tipo de mulher capaz de conseguir tudo que quer com sexo e dinheiro e para a qual homem algum diz não. Quando um se atreve a fazê-lo, você acha que é questão de honra fazê-lo mudar de ideia, como se você fosse algum tipo de deusa grega. Sou perfeitamente capaz de entender isso.

O que NÃO sou capaz de entender é, se seu interesse é apenas em ter um site, por que você insiste comigo quando certamente há um imenso número de outros webmasters no mundo que alegremente seguiriam seu canto de sereia e para os quais você nem teria que fazer nenhuma das promessas que me fez.

Por favor, tente entender que vivemos em mundos muito diferentes. Meu mundo não é movido a sexo e dinheiro. Não sonho com aquele tipo de vida que você descreveu. Meu mundo é movido pelo evangelho de Jesus Cristo. O tipo de vida com o qual sonho não pode ser comprado com dinheiro e não pode ser entendido com nossas mentes naturais. Como disse Paulo:

“Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente.” (1 Coríntios 2:14)

Não posso esperar que você entenda isso, mas posso esperar que respeite minha decisão da mesma forma que respeito seu direito de usar seu arbítrio como quiser. Estou fazendo exatamente isso: usando o meu como quero.

Meu Deus não é o dinheiro. E não preciso me desculpar por isso.

Espero poder contar com sua compreensão e respeito tal como você pode contar com os meus.

Algumas horas mais tarde, finalmente recebi a resposta que esperava: “Tudo bem. Obrigada por sua atenção”. Depois até se desculpou por seu mau comportamento, explicando que realmente nunca antes havia recebido um não de um homem e que o meu foi algo difícil de engolir.

Caso encerrado. 🙂

[ATUALIZAÇÃO] — Encerrado nada! O caso teve um surpreendente desdobramento que relato no artigo seguinte a este, Nem tudo que reluz é ouro, já dizia minha avó. Por isso, encerrei os comentários deste artigo e peço ao leitor que, se quiser comentar, faça-o no artigo seguinte. Obrigado.

Visitado 5.193 vezes, 1 visita(s) hoje

26 comentários em “Ganhar (muito!) dinheiro com pornografia? Não, obrigado

  1. Inspiração para milhares no mundo é a sua determinação em viver o evangelho!A cada artigo meu testemunho se fortalece!

  2. NOSSA, que história, hein! Adorei suas respostas. Acho que agora ela realmente conheceu um homem de verdade. Legal que esteja falandi sobre a Igreja com ela, se ela nunca teve contato com um mundo diferente do que vive, quem sabe isto não dá frutos no futuro? Um beijo!

  3. Oi querido!
    Acredito que nem lembras mais de mim.
    De qualquer forma, gostaria de parabenizá-lo por vc ser exatamente como é. E por ser um exemplo de tantas coisas boas e faltantes no mundo de hoje.
    Aproveitando para dizer que ainda o considero o meu irmão mais velho (não tendo idade como referencia, tá?) e uma fortaleza.
    Ahhh… te achei de novo porque agora tenho internet em casa. E não sei se está sabendo, mas estou morando em Curitiba, legal né?
    Agora finalizando, parabéns de novo.
    Foi ótimo re-encontrá-lo.

    bju,
    Polly.

  4. Marcelo,
    Lendo as postagens dos leitores, me veio a mente aquele episódio em que foi revelado a Joseph que seu nome seria reconhecido por bem e por mal entre todas as nações. Acredito que você é um instrumento abençoado devido a forma como propaga o evangelho verdadeiro em sua essência, mas sei também que a oposição jamais deixará de agir em meio a todas as atitudes e posição tomada por você.
    Oro para que todos abramos nossas bocas e não envergonhemos daquilo que defendemos.

    Abraços.

  5. Olá irmão Marcelo Todaro!

    Hoje finalmente consegui ler seu diário, parabéns por defender seus princípios, acredito que estas pessoas existem porque não tiveram a oportunidade que tivemos de conhecer o evangelho restaurado, por isso a surpresa e a forma vulgar de negociar até mesmo com o seu corpo, e de querer sempre dar preço as pessoas como se fosse mesmo objeto, parabéns mais uma vez e acredite sempre em você e na fé que sentes por nosso salvador Jesus Cristo.

    Um grande Abraço!

  6. Olá Marcelo Todaro!

    Acredito que isso possar ser uma pegadinha, pois há várias formas de verficar a dignidade de um homem, essa mensagem pode ter vndo do brasil mesmo, alguém de queria testa-lo, ai pode ter linha de investigação SUD, conforme a suas resposta você mostrou que não é qualquer um, é mais um SUD fiél.

    Atenciosamente;

    Diretoria Metronik

    1. Caro “Diretoria Metronik”,

      Creio que seria virtualmente impossível ser uma suposta “investigação SUD”. A Igreja não se utiliza desse tipo de subterfúgio, até porque não tem que investigar a vida de ninguém, já que não é polícia. Se eu eventualmente estivesse cometendo um pecado que precisasse ser confessado e não o fizesse por iniciativa minha, ele seria trazido à tona pelos meios geralmente usados pelo Senhor, que são os que justificam a existência daquele velho ditado: “mentira tem perna curta”.

      Um abraço!

  7. Marcelo, tudo bem?

    Sou membro da Igreja, aqui de SP. Também trabalho com Internet – há 9 anos.

    fiquei impressionado com essa situação e como ela se parece com aquelas histórias que contamos em discursos – para provar a habilidade de Satánas.

    Se é mentira ou não (ela oferecer milhões) nunca saberemos.

    Mas digamos que teria sido verdade – parabéns pela decisão.

    gostei muito da experiência.

    Abs,

    Delfino

    1. Oi, Thiago.

      Tenho mantido contato com ela. Está admirada com minha firmeza de caráter, coisa que não costuma encontrar no meio em que vive, e curiosa a respeito de algumas sobre mim e a Igreja.

      Nesses contatos, em pelo menos uma vez ela reiterou que estava, sim, disposta a dar tudo que me ofereceu e até agora se espanta em ver que não aceitei, pois nunca na vida imaginou que iria encontrar um homem que recusasse tais ofertas.

      Não me é difícil entendê-la. Trata-se de uma questão de perspectiva. Considerando que ela começou cedo nessa atividade e (pasme!) com o apoio dos pais, o mundo dela é povoado por gente que acha isso tudo muito normal e natural. Pela perspectiva deles, anormal é alguém como eu. Daí sua curiosidade sobre mim e a Igreja. Ainda que ela eventualmente me ache algum tipo de “aberração”, tenho deixado que me pergunte tudo que quer. Acredito que a experiência está sendo didática para ela. Quem sabe que tipo de benefício não poderá trazer-lhe no futuro?

      Um abraço!

  8. Grande Marcelo,

    Não fiquei surpreso com a sua conduta rsrsrsrsr

    Você é ‘DEZ’!

    Abs,

    Hélio

  9. Marcelo tu estava ali igual ao José do Egito, reparou nisto? Uma bela dona, muitas vantagens financeiras, e outras mais, que venhamos tu nem precisa uma vez que esta devidamente bem casado, mas que é engraçado é, bom eu não tiro a razão da tal dona, tu é muito gato, porque não coloca uma foto assim de um tio bem feio que isto não te aconteceria mais, beijos amigo, e parabéns ai pela”dedicação” aos padrões, venceste uma bela batalha, viva nosso Marcelo!

    1. tu é muito gato

      Miaaaaau…

      😀

      Obrigado pelo elogio, mas, falando sério, acho que isso não explica a razão do assédio, e sim o fato de a mocinha rica e poderosa ter tido seu orgulho ferido pela minha recusa e, depois, por eu tê-la ignorado. Felizmente, ela não teria como perpretar uma vingança nos moldes da que fez a mulher de Potifar, pois não tenho qualquer proximidade com ela, como tinha José.

      Um abraço!

Os comentários estão encerrados.