Cuidado com o que pede a Deus, você pode receber

Publicado em 22 de abril de 2024 e atualizado em 2 de maio de 2024

Casal com homem usando máscara

Dia desses minha mulher e eu conversávamos sobre o caso de uma conhecida nossa. É uma mulher muito digna e fiel ao Senhor, que estava divorciada e queria muito um novo casamento.

Apesar de já ter passado dos 40, tem o defeito de ser ingênua e afetivamente imatura, permitindo que seus fortes impulsos sexuais determinassem a escolha do homem com quem queria se casar.

Ela pediu ao Senhor um homem da Igreja anatomicamente bem dotado e fogoso como ela. Ele atendeu seu pedido e lhe deu um homem exatamente como pediu, mas advertiu-a para que aproveitasse bem, pois seria seu último marido nesta vida.

Após um breve namoro, em grande parte ocorrido virtualmente, casou-se com ele e passou a desfrutar das delícias do sexo no casamento.

Mas logo lhe ficou claro o fato óbvio de que casamento envolve muito mais do que só a satisfação dos apetites sexuais. Concordo que essa é a melhor parte do casamento, mas está longe de ser a mais importante.

Resultado: meros dois meses depois, já estavam se separando.

Fiz um paralelo disso com o meu caso. A exemplo de nossa amiga, meu namoro com a mulher com quem estou casado também ocorreu em grande parte virtualmente e também me casei sabendo pouco dela. A diferença é a natureza do pouco que eu sabia. Diferente de nossa amiga, pedi ao Senhor uma mulher que me ajudasse a ser bem sucedido em trilhar o caminho da exaltação eterna junto com ela. E Ele me deu exatamente o que pedi.

Ao contrário de estar focado apenas no que está aparente aos olhos, meu foco estava também – e principalmente – no que não está. Fosse aquele meu único foco, poderia ter permanecido com qualquer das namoradas ou pretendentes anteriores à mulher com quem casei. Não o fiz porque nenhuma delas tinha assumido com Deus um compromisso do nível do meu.

Ao longo da vida já tive experiências que comprovaram o que as estatísticas demonstram: numa relação a dois, quando há um grande desnível na espiritualidade do par, quem está embaixo puxa para baixo quem está em cima.

A mulher ideal para mim teria que estar espiritualmente acima de mim para que eu me sentisse realizado. Para minha bênção, a mulher que o Senhor me apresentou não era só espiritualmente atraente, era fisicamente atraente também. Então tratei logo de agarrar a bênção com todas as minhas forças.

Meu diário pessoal está repleto de relatos das bênçãos subsequentes dessa escolha e não é o caso de detalhá-las neste artigo. Só o que desejo fazer neste momento é, mais uma vez, deixar registrada minha gratidão ao Senhor por ter me considerado digno de me ser confiada uma filha tão divina, tão única, tão alvo da atenção dos Céus.

Nossa amiga hoje está tendo oportunidade de refletir sobre suas escolhas. Esperamos que tenha aprendido a necessidade de usar de sabedoria ao pedir coisas ao Senhor para não correr o risco de pedir o que não deve. Aquele que tem uma estatura espiritual elevada sabe que nossos pedidos a Deus precisam estar em harmonia com Sua sabedoria e vontade. Se pedirmos o que não devemos, corremos o risco de receber exatamente o que pedimos, mas não como uma bênção, e sim como uma lição, que pode eventualmente ser amarga.

Mesmo diante das lições mais duras, como no caso de nossa amiga, que possamos encontrar a graça e a orientação necessárias para crescer e florescer em direção à luz da exaltação eterna prometida pelo Pai a Seus filhos fiéis.

Visitado 45 vezes, 1 visita(s) hoje

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *