Como a voz do Senhor ajudou Joelma a vencer a Covid

Publicado em 1 de janeiro de 2024 e atualizado em 12 de fevereiro de 2024

A cantora Joelma, sorrindo

Nunca fui fã do gênero musical da cantora Joelma, portanto eu não sabia sobre ela mais do que é possível saber por meio de manchetes: foi vocalista da banda Calypso, teve um divórcio conturbado do guitarrista da banda, Chimbinha, e esteve muito doente.

Então, quando liguei a TV na manhã do primeiro dia do ano, a entrevista que Joelma dava a Ana Maria Braga tinha tudo para ser mais uma que eu não me interessaria em assistir não fosse por ela estar falando de algo que conheço bem: dons espirituais. Ela contava como seus dons a ajudaram a superar uma doença que de outra forma poderia tê-la matado.

Contou que desde criança sente necessidade de se manter próxima de Deus. Tenho esse ponto em comum com ela, comigo também foi assim.

O relato de como usou seus dons espirituais para vencer a batalha contra a Covid me fez perceber não só o amor dela pelo Pai, mas também, e principalmente, o Dele por ela. Ele a dotou de magníficos dons reservados somente a filhas muito especiais.

Não me refiro apenas a seus evidentes dons artísticos visíveis aos olhos do mundo, mas aos que só se percebe com olhos espirituais: o de ouvir a voz do Senhor, o de obedecer a essa voz e o de discernir Sua intercessão em atitudes e coisas a seu redor. Foi graças a isso que superou o que talvez tenha sido a maior provação de sua vida até o momento.

Cabe-lhe também o mérito de reconhecer a ajuda recebida do Senhor e expressar sua gratidão por ela. Sem saber, Joelma cumpria a palavra do Senhor em D&C 59:21: “E em nada ofende o homem a Deus ou contra ninguém está acesa sua ira, a não ser contra os que não confessam sua mão em todas as coisas e não obedecem a seus mandamentos” (destaque meu).

Cada ser humano, como filho da Deidade, é agraciado com dons e talentos únicos. Esses dons são uma expressão do amor divino e do desejo de Deus de abençoar todos os Seus filhos. Além dos que graciosamente já recebemos, temos também o direito de pedir dons novos (ver D&C 46:8-9).

No entanto, é importante entender que a posse desses dons não é garantida. Mantê-los requer esforço e merecimento. Os dons espirituais são concedidos com uma finalidade específica e, se essa finalidade não for atendida, esses dons podem ser retirados e concedidos a outra pessoa.

A perversa influência de Satanás, através do ceticismo e da desobediência, pode levar à perda desses dons. A Parábola dos Talentos ilustra bem essa ideia: receber dons é uma coisa, mantê-los é outra. Assim como uma planta precisa de cuidados constantes para não murchar e morrer, um dom espiritual também precisa ser usado e cuidado para não diminuir ou desaparecer. Portanto, embora a concessão de um dom espiritual seja um presente gratuito de Deus, a manutenção desse dom é uma responsabilidade que exige esforço e dedicação contínuos.

Por fim, quero comentar que, embora Joelma tenha declarado ter sido vacinada contra Covid, o fato de tê-la contraído sete vezes em nada diminui a importância da vacina. Primeiro, não sabemos quantas doses tomou. Segundo, a Covid pode ter revelado uma comorbidade que ela não sabia que tinha — segundo seu relato, foi só a última equipe de médicos que descobriu onde estava o problema. Quem sabe se, sem a vacina, essa comorbidade não a teria matado logo na primeira vez? Negacionismo é só mais uma das perversidades praticadas por Satanás na tentativa de nos tornar tão miseráveis quanto ele próprio (ver 2 Néfi 2:27).

Visitado 39 vezes, 1 visita(s) hoje

4 comentários em “Como a voz do Senhor ajudou Joelma a vencer a Covid

  1. Tem algo estranho na história dela. Se a Covid é uma doença que ataca as vias respiratórias principalmente, como é que nenhum dos médicos que tratou dela antes, só o último, se lembrou de verificar os pulmões? Como se diz no popular, algo de errado não está certo…

    1. Não dá para ter uma opinião bem embasada baseado apenas no que foi dito numa única e breve entrevista. Note que ela disse que ficou dois anos em tratamento, então ela tinha que resumir muito a história. Concordo que esse resumo deixou pontas soltas, mas, se quisermos entender a história por completo, temos que pesquisar outras fontes.

      Todavia, meu foco nesse artigo é espiritual, não clínico. Só o escrevi porque, como eu disse no início, ela estava falando de um assunto que conheço bem, daí meu interesse na entrevista. E nisso devo reconhecer que ela é uma filha muito abençoada de nosso Pai Celestial, razão pela qual, a partir dessa entrevista, meu olhar sobre ela mudou um pouco.

      Um abraço!

      1. Oi, Maurício. Sim, é como eu disse, ataca as vias respiratórias principalmente, tanto que o nome do vírus, que muita gente erradamente chama de Covid (Covid é a doença, não o virus), chama-se SARS-COV-2, e o “SARS” é a sigla em inglês de Síndrome Respiratória Aguda Grave.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *