A razão da esperança que há em mim

Atualizado em 4/12/2015

Ocasionalmente recebo contatos de visitantes de meu blog trazendo-me elogios, dúvidas e críticas. Estas geralmente não são contra o blog ou contra mim, e sim contra a Igreja.

Há algum tempo venho me correspondendo por e-mail com uma pessoa que se identifica apenas pelo pseudônimo de “Árabe Quarentão”. Desde quando me procurou pela primeira vez, vem trazendo dúvidas sobre a Igreja e muitos tópicos relacionados a ela. Tenho procurado responder todas as suas perguntas com o máximo de amor cristão e atenção possível.

No início ele foi muito cordial e polido, mas, em sua última mensagem, enviada esta noite, pareceu ter perdido a paciência comigo pelo fato de eu não concordar com seus raciocínios. Abordou novamente temas já discutidos em mensagens anteriores como se nenhuma resposta houvesse sido dada antes. Trouxe artigos críticos à Igreja pedindo para saber se era verdade o que diziam, como se estivesse me testando. Insiste que a Igreja errou em algumas coisas e que deve desculpas por isso. Tem procurado pelos em casca de ovo para criticar a Igreja e seus líderes e membros.

Em outras palavras, ele é do tipo que, na falta da fé, busca sinais para crer. De sua última mensagem destaco:

Não consigo raciocinar de maneira clara como uma pessoa inteligente e estudada como você, após eu mostrar tantas contradições (próprias contradições dos líderes em suas citações discursivas, por exemplo), pode seguir uma religião tão “confusa” e “contraditória” como a dos mórmons, como exemplo: não aceitar negros no sacerdócio até 1978, ter praticado a poligamia no passado, ter “segredos” nos Templos Mórmons, que muitos afirmam ter ele plagiados dos maçons (Joseph Smith foi um maçon), enfim, tantas contradições latentes que não consigo imaginar um ser normal e questionável como é o homem, ter coragem de seguir uma religião desse tipo. Desculpe minha sinceridade.

A questão polêmica do Livro de Mórmon, quais provas cabais ele tem? As moedas nefitas, as couraças, as espadas, as ossadas, etc? Não teria sido uma “novela” escrita por uma mente fértil como a de Smith?

A Bíblia possui até hoje os locais citados, isso é um fato incontestável. E os locais citados no livro de mórmon? Onde se encontram?

(…)

No meu entender só falta o pedido de “desculpas” público pelo erro do passado em ter negado aos negros o sacerdócio mórmon, aí sim estaria perto do termo “cristão” ensinado por Jesus no Novo testamento. Um ato de humildade e resignação.

Tudo isso é chover no molhado. Todas essas dúvidas já foram exaustivamente respondidas por eruditos e líderes da Igreja e estão à disposição de quem quiser encontrá-las. Mas parece assombroso que, na busca por informações sobre a Igreja, algumas pessoas só encontram as críticas e nunca as respostas verdadeiras.

Jamais me propus a responder críticas e não abri exceção desta vez. Crítica é sintoma de ceticismo, que se combate com testemunho. Por isso, minha resposta concentrou-se apenas num único ponto de sua mensagem: como posso permanecer membro da Igreja apesar das “contradições” encontradas por ele. Eis o que respondi:

Amigo,

Por favor, preste atenção no que digo abaixo como nunca em sua vida prestou atenção em algo.

O cerne de seu problema em entender essas coisas reside exatamente nisto: “Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente” (1 Coríntios 2:14).

Atente bem para isto: elas se discernem ESPIRITUALMENTE. Consegue compreender o que isso significa?

Você poderá passar a vida inteira procurando provas materiais, lógicas e racionais da veracidade do Livro de Mórmon e não as encontrará nunca. Da mesma forma, também não encontrará de muitas coisas contidas na Bíblia: Jardim do Éden (onde foi?), Adão e Eva (existiram mesmo?), dilúvio (como pode não haver vestígio algum dele?) e o principal de tudo: a ressurreição de Cristo (como pode alguém passar três dias morto e voltar à vida?).

Eu já lhe disse numa mensagem anterior e torno a repetir: é tão incoerente pedir provas dessas coisas quanto é pedir do Livro de Mórmon. Se você aceita os relatos bíblicos sem pedir que sejam materialmente provados, tem que aceitar o Livro de Mórmon também, sob pena de estar sendo incoerente: por que não pedir de um e pedir do outro? Ou pede de ambos ou não pede de nenhum. Um peso, uma medida.

Felizmente, Deus nos proveu um meio de saber toda a verdade pelo poder do Espírito Santo sem necessidade dessa tolice de ficar procurando provas materiais de fatos espirituais. Afirmo-lhe que Deus fez as coisas de modo a manter essas provas materias ocultas do homem justamente para que as procure pela fé. Deus quer que desenvolvamos fé. Se temos provas materiais, para que precisamos da fé?

Portanto, se você quer provas materiais da veracidade do Livro de Mórmon e de muitas coisas ditas na Bíblia, passará a vida toda procurando e nunca as encontrará, pois ELAS NÃO SÃO PARA SEREM ENCONTRADAS. Não é intenção de Deus que o sejam. Entende isso? Ele não quer que acreditemos nessas coisas por podermos ver e tocar em provas materiais delas, pois assim não precisaríamos ter fé. E a fé é importante porque as maiores e melhores recompensas que Ele tem para nos dar nesta vida e na próxima só são alcançadas por meio da fé. Como Ele é o principal interessado em nos conceder tais recompensas, jamais fará nada que nos impeça de recebê-las — e isso inclui dar provas materiais que dispensem a necessidade de desenvolver fé. Na verdade, a coisa funciona exatamente ao contrário: primeiro vem a fé, depois vêm as provas. Não devemos buscar sinais para satisfazer nossa curiosidade nem para apoiar nossa fé. Ao contrário, o Senhor dará sinais aos que crerem quando julgar conveniente (ver D&C 58:64). A mesma fé que lhe permite saber que Ele existe é a que lhe permitirá saber que o Livro de Mórmon é verdadeiro, caso esteja sinceramente interessado.

Portanto, se, como você mesmo disse, não consegue compreender porquê alguém inteligente e estudado como eu aceita e segue o mormonismo, volte-se a 1 Coríntios 2:14: “o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente”.

Mais uma vez: a chave da questão está em “elas se discernem ESPIRITUALMENTE“.

Aceito e sigo o mormonismo exatamente por causa disso: porque sei que Deus tem boca e fala e tive fé suficiente para buscar com Ele uma resposta. Aceito e sigo o mormonismo porque Ele testificou a mim que esta é a única e verdadeira Igreja de Jesus Cristo na face de toda a Terra — não apenas mais uma igreja que PRETENDE ser de Cristo, mas a única que Ele aceita como Sua, pois não foi edificada pelas mãos de homens, mas pelas Dele EM PESSOA, visitando o jovem Joseph Smith e iniciando por meio Dele a restauração do Evangelho e da Igreja que há muito havia se perdido no mundo.

Não dou a mínima para o que diz Wikipédia ou seja lá qual for o site. Não estou nem aí para os críticos e opositores. E isso por um motivo muito simples: o fato de Deus ter falado comigo (e crítico nenhum JAMAIS poderá dizer que não falou) dizendo o que me disse é PROVA mais que suficiente de que estou no lugar certo. As críticas que você citou são palavras de homens, são o racional de homens e, não raro, a deturpação, distorção e calúnia de homens. Quão espiritualmente miserável seria eu se necessitasse dos homens para provar-me a verdade de Deus! Pra quê intermediários se posso recorrer diretamente a Ele, sem interferências nem distorções?

Ou seja, se Deus em pessoa me disse que a Igreja é verdadeira, a única explicação lógica para o que os homens dizem é que só podem estar errados. Ou será que Deus estaria errado e os homens certos?

Eis aí meu racional para permanecer onde estou já há 25 anos: ou Deus está certo ou os homens estão. Ambos não podem estar certos ao mesmo tempo. Se Deus é perfeito e não pode errar, então, pela lógica, quem está errado é o homem que diz o contrário do que Ele diz.

Eis porque não dou a mínima para o que dizem os críticos. Existe uma explicação racional para todos os questionamentos levantados por eles, mas não tenho a mínima necessidade de buscar essas explicações pelos motivos que já expus.

A propósito, você insiste em bater na tecla de que a Igreja deve desculpas por coisas que você acha nebulosas na história da Igreja. Já comentei esse tópico antes dizendo que a Igreja não deve desculpas por nada, pois sustentamos que tudo que foi feito o foi por ordem de Deus e, quando fazemos o que Ele manda, estamos sempre certos, não importa o que os homens pensem.

Para encerrar, quero dizer apenas uma coisa: quer saber se a Igreja, o Livro de Mórmon e tudo mais são verdadeiros e vêm de Deus? Então pare de procurar provas materiais e abra-se para o que o Espírito Santo tem a dizer. É Dele que as respostas vêm. Enquanto você não o fizer, vai continuar batendo cabeça atrás de provas que nunca encontrará. Então a vida terá passado e você terá perdido a oportunidade de experimentar a maior alegria que poderia ter tido nesta vida, que é a mesma de que desfruto.

Por fim, peço-lhe encarecidamente que leia este discurso, que foi proferido para pessoas que têm as mesmas dúvidas que você.

É isso. Espero ter cumprido bem o conselho do apóstolo Pedro:

“…estai sempre preparados para responder com mansidão e temor a qualquer que vos pedir a razão da esperança que há em vós” (1 Pedro 3:15).

Você acha que cumpri bem esse conselho? Comente!

Leitura adicional recomendada:

 

 

(Visited 176 times, 1 visits today)

Artigos relacionados:

Publicado em Diário pessoal com a(s) tag(s) , , , , . Adicione o link permanente deste artigo a seus favoritos.

12 comentários em A razão da esperança que há em mim

  1. sirineu disse:

    Uma das coisas que eu não entendo é a de ver muitas pessoas defendendo suas idéias com muita propriedade e, por outro lado ver milhões de pessoas passando fome. OS JUDEUS DIZEM QUE ESTÃO CERTOS. OS CRISTÃOS COM TODAS AS DIFERENTES DENOMINAÇÕES TAMBÉM. OS MUÇULMANOS TAMBÉM. NO ENTANTO A FOME NO MUNDO É UM GRANDE DILEMA. CADÊ O AMOR? DE QUE ADIANTA TANTA FÉ E TANTO CONHECIMENTO SE NÃO ESTENDE A MÃO? QUEM NÃO CONHECE A REALIDADE DO HAITI?, SOMÁLIA, ETIÓPIA, BRASIL, E TANTAS OUTRAS REALIDADES. Quero deixar uma pergunta: Você ama a Deus ou teme a Deus?

    • Marcelo Todaro disse:

      Sirineu, você está misturando as bolas. A fome é só mais uma das perversas mazelas sociais decorrentes da sistemática violação da lei de Deus. Se há quem passe fome é porque alguém transgrediu essa lei (e pode ter sido até a própria vítima da fome, não temos como saber). A solução pra isso não é só estender a mão a essas pessoas, mas também — e principalmente — fazer com que os transgressores se arrependam. Quando isso acontecer, não haverá mais fome no mundo.

      Um abraço!

    • Jucelio Vieira da Silva disse:

      O mormonismo é mais uma grande mentira dentre tantas outras seitas existentes,o seu livro não se harmoniza com a bíblia, Jesus escolheu doze discípulos e os fez apóstolos e também a Paulo e a partir deles o mundo foi evangelizado.Quando Smith recebeu aquela falsa revelação o evangelho já tinha sido semeado a muito tempo na america do norte e nos confins da terra,inclusive ele também já o tinha aceitado mas nunca de fato se converteu,em Gl 1:8 diz que seja anátema qualquer outra revelação do evangelho que não seja a deixada pelo Senhor Jesus , na verdade o que apareceu para ele foi o mesmo que apareceu a Maomé um demônio e muitos tem acreditado e isso continua acontecendo até hoje para os que não tem um coração completamente entregue ao Senhor, tem mais uma coisa e muita arrogância sua dizer que só a sua seita é a verdadeira igreja na terra, para mim toda denominação que segui verdadeiramente o evangelho será salva,sei que tem pessoas sinceras no mormonismo porém estão no engano que o nosso misericordioso Deus as tire das trevas para luz do evangelho da verdade,não para uma denominação, não sou contra a denominação desde que a mesma qnde nos preceito do evangelho de Cristo.

      • Marcelo Todaro disse:

        Jucélio,

        Ainda bem que no dia do juízo não serei julgado por você. 😉

        Devo respeito à sua opinião, mas isso não significa que eu tenha que concordar com ela. Sua opinião é baseada meramente em desinformação a nosso respeito. Procure se informar melhor antes de criticar o que não entende. Lembra do mandamento “não julgueis para que não sejais julgados”? Pois é…

        Um abraço!

  2. A razao que trouxe-me a seu blog foi sem duvida sua posição contra os gays , somente depois e que percebi sua religião.
    Ja li os livros do mormons (aquele pretinho) e na minha casa recebi e falei com muito ao longo desse anos.em outros momentos li sites especifico.
    em meus comentarios busquei evitar tocar propriamente em sua religiao. e verdade que em alguns tambem te questionei.
    meu objetivo foi sempre dialogara acima da religião uma vez que sendo budista isso levaria a conflitos religiosos que sinceramente nao tenho paciencia para isso.
    Foram anos sem pertecer a nenhum grupo religioso, o ponto bom disso e que sempre estive aberto para ouvir e ler o que cada um tinha para dizer.
    Empenhei na leitura de muitos livros que tive acesso,naquele tempo na havia internet e tanta informação como hoje.
    foi uma busca de fé , solitaria houve momentos que senti perdido. mas nunca desistir.
    Quando encontrei o budismo nitiren tive certeza que minha caminhada havia chegado ao fim e uma nova se iniciaria.
    Ser budista nao e facil ,ter uma forte fé ,pratica-lo na vida diaria e estuda-lo (nao fazer leitura) e um grande desafio.
    ser budista em pais 94% acredita em deus e ainda sim propagar o budismo e uma tarefa ardua.
    para piorar o pouco do budismo que chegou no brasil conduz a pessoas a ter uma visão errada o budismo.
    Do mesmo modo que hoje a inumeras pessoas esta pregando sua crença faço a minha. acredito que na medida que as pessoas compreenderem o budismo eles se converteram .propagar e minha missao.
    hoje respeito de fato a liberdade religiosa. quero que cada pessoas escolha por vontade propria seguir o budismo e que jamais eles seja imposto a sociedade.
    Por meio do budismo alcancei a felicidade e por isso quero que os outros tambem o seja.
    Li seu blog ate 2009 alguns assunto nao tenho nda que dizer outros poderia escrevr paginas e paginas.
    Gostaria de finalizar dizendo somente quando realmente respeitar a liberdade e direito dos outros e que compreendemos o que e ser humano de verdade.
    Respeitar ,amar , proteger , justiça ,so valores universais que independe de religiao e algo que todos nos devemos buscar.
    Para voce meu desejo de muitas felicidades.

  3. Leonel D'Ávila disse:

    “Todos os debates são fúteis e estúpidos. O debate em si é uma idiotice, porque ninguém pode atingir a Verdade pela discussão e o debate. (…) O debate é sempre violento. Nele, sua própria atitude é violenta. Na realidade, você não está em busca da verdade, está em busca da vitória. Quando a vitória é a meta, a verdade é sacrificada. (…) Ao discutir, debater, racionalizar, você não ouve o outro. Apenas finge ouvir e, interiormente, fica se preparando. Por dentro você está sempre se preparando para a tacada seguinte, pronto para rebater quando o outro parar. Você fica se preparando para refutar. Não ouve. Fica tramando como irá refutar o outro.” (Osho, “Nem água, nem lua”, pp. 36-8)

    Por melhores que sejam, nossos argumentos falam apenas ao intelecto humano e não conduzem ninguém à verdadeira conversão. Lembremos que o profeta Brigham Young passou dois anos estudando o Livro de Mórmon – ele próprio tinha questionamentos, mas sua conversão se deu após o irmão do profeta Joseph Smith prestar um simples testemunho. Após aquelas poucas palavras isentas de “malabarismo teológicos”, Brigham Young afirma que “os céus se abriram e foram revelados luz, glória e imortalidade”. Muitas vezes caímos naquilo que chamo de “tentação da argumentação” e esqueçemos o poder de um testemunho prestado com sinceridade.

    Parabéns Todaro.

  4. LUCIANO FERREIRA disse:

    Oi Marcelo gostei muito da suas explicaçoes li tudo acho que devemos procurar dentro de nosso coração as nossas respostas mas infelizmente há pessoas que nos tratam como se fossem uma doença contagiosa quando falamos que somos mormons, mas isso não tira o meu testemunho deste evangelho verdadeiro sou mormon há 15 anos sou casado no templo e não troco por nenhuma felicidade terrrena.

  5. Jackeline dos Santos Pereira disse:

    Suas palavras tem me consolado. Olha não pense que sou como esse cara. Sou membro da Igreja desde os 14 anos creio no Livro de Mormom, e em todas as doutrinas da Igreja. Por acaso estava pesquisando e encontrei esserelato de um membro afastado da Igreja que diz ser falça a tradução do livro de abraao e que estudiosos provaram que seu conteúdo é diferente do que joseph traduzio, quero muito acreditar que isso é mentira e preciso de alguém com mais conhecimento que eu para me ajudar, e acho que essa pessoa é você. Você já leu algo sobre isso??? Essa pessoa não é um crítico comum foi membro da Igreja por 30 anos e ao pesquisar sobre o assunto, segundo ele ficou muito decepsionado e até deprimido com o que encontrou. É claro que tudo isso pode passar de uma grande mentira e que essa pessoa nem tenha sido membro da Igreja. Na verdade eu líuma tradução do relato dele que o original está em Inglês. Se você poder me ajudar me manda algum dado oficial da Igreja sobre esse assunto.

    • Marcelo Todaro disse:

      Oi, Jackeline.

      Perguntas que você deve fazer a si mesma: como foi que essa pessoa descobriu a suposta fraude? Quem descobriu que as placas eram falsas? Onde essa descoberta está publicada? Que dizem demais historiadores e pesquisadores sobre o caso?

      Espero que essa pessoa não queria que acreditemos em suas alegações só porque ela está dizendo que as coisas são como acha que são.

      Mas é a tal coisa: tem cientista que jura que o Livro de Mórmon é uma fraude porque não se conseguiu estabelecer uma correlação genética entre os índios americanos e os israelitas, antepassados dos nefitas.

      Indo mais longe, nenhum cientista jamais encontou evidências da existência do Jardim do Éden, de Adão e Eva, do dilúvio, da divisão do Mar Vermelho e tantas outras coisas. Por fim, a ciência diz ser impossível Jesus ter ressuscitado após três dias morto. Para a ciência, esses relatos não passam de lendas.

      Agora me diga: se a ciência diz ser impossível Jesus ter ressuscitado, você vai virar atéia por causa disso? Se não, então por que deve se deixar abalar pela palavra de alguém dizendo que o livro de Abraão é uma fraude? Em ambos os casos, trata-se de fatos espirituais que devem ser comprovados espiritualmente, e não materialmente.

      Tenhamos em mente que nosso Pai Celestial é onisciente (tem todo conhecimento do Universo) e onipotente (tem todo poder). Portanto, Ele pode nos revelar a verdade de todas as coisas (veja Moroni 10:5), porque Ele as conhece. Na palavra de quem você prefere confiar, na de nosso Pai ou na de homens?

      Não preciso de comprovação científica de nada para saber que os fatos narrados nas escrituras são verdadeiros e, por extensão, que o Livro de Abraão também é. Um dia (que estou plenamente convicto de que estarei vivo para ver chegar), nosso Pai revelará toda a verdade ao mundo, então aqueles que viram fraude e engano onde não existe — e aqueles que deliberadamente mentiram sobre isso — terão a oportunidade de reconhecer a falsidade (intencional ou não) das próprias afirmações.

      Espero ter ajudado.

      Um abraço!

    • Marcelo Todaro disse:

      Rogério (e-mail neno-rogerio@b…), seu comentário foi apagado por ter sido desrespeitoso e provocativo, contrariando a instrução “se quer discordar, faça-o com educação e respeito”. Aceito críticas, sim, o que não aceito é falta de educação. Você poderá tentar novamente se o fizer demonstrando pela fé alheia o mesmo respeito que espera receber pela sua. Favor ler a advertência em vermelho e segui-la se quiser garantir o direito de comentar.

  6. Taty Sputnik disse:

    Você tem bastante paciência, Marcelo! Poxa!

    Eu, nesse caso, apenas prestaria meu testemunho de que todas as coisas são verdadeiras sim. Eu aprendi que devemos evitar esses tipos de discussões, ainda mais com uma pessoa que não aceita a verdade (quase escrevi “jamais”, mas apaguei imediatamente). Geralmente, essas pessoas nunca vão atrás da verdade, mas sempre atrás de pedra para nos jogar. Afinal, ser mórmon não é nada fácil… mas, fala a verdade, é bem legal!
    Esses tipos de atitudes, como a dele, não faz nada mais que fortalecer meu testemunho. Sempre seremos perseguidos por pregar a verdade, certo?

    As trevas jamais entederão a luz.

    Abração!

    • Marcelo Todaro disse:

      Obrigado pelo comentário. Estendi-me na conversa com ele enquanto pareceu-me que estava sinceramente interessado em aprender. Mas, quando começou a dar voltas e fazer comentários inconformados com o que parecia-lhe ser falta de inteligência de minha parte, encerrei a conversa.

      Ele ainda respondeu minha mensagem transcrita acima, mas sua resposta veio cheia de questionamentos típicos de quem pede sinais para crer. Então terminei o papo dizendo:

      “Acho que seria inútil dar [essas respostas] a você. A razão é simples: se acha que não precisa perguntar nada a Deus sobre o que tenho lhe dito porque já sabe o suficiente, então eu estaria perdendo meu tempo dando-lhe mais respostas. Isso simplesmente não teria fim. Não tenho tempo nem disposição para debates intermináveis que poderiam ser eliminados com uma atitude simples e humilde de buscar as respostas em Deus, sem supor que a obra Dele já tenha terminado e que Ele não tenha mais nada a dizer. Sei que Ele ainda tem muito a dizer, pois a obra Dele não tem fim, por isso sei que a Bíblia não contém todas as obras e palavras Dele. Mas se você está convencido do contrário, é inútil continuarmos. Quando você estiver disposto a verdadeiramente aprender mais e a buscar saber de Deus se Ele tem mais a dizer além do que está na Bíblia, sinta-se à vontade para me procurar.”

      Um abraço!

 

REGRAS PARA COMENTAR NOS ARTIGOS:

  1. Não use agressividade, provocações, insultos, ironias, deboches, maledicências, palavrões e coisas desse tipo, ou seu comentário será sumariamente apagado. Aceito críticas, sim, o que não aceito é falta de educação e de respeito.
  2. Não use e-mail falso ou seu comentário poderá ser apagado.

Deixe seu comentário - mas observe as regras acima!